Foto: Patrícia Cruz/A Tribuna de Santos

Quem está defendendo Marcos Aurélio na ação é Fernando Barrionuevo.

A disputa entre o Atlético e o atacante Marcos Aurélio ganhou mais um capítulo na tarde de ontem. No mesmo dia em que a CBF negou ao Santos a inscrição do jogador, o advogado do atleta protocolou na 11.ª Vara do Trabalho um pedido de revisão da decisão judicial que determinou que ele se apresente ao Furacão para assinar um novo contrato.

Quem está defendendo Marcos Aurélio na ação é Fernando Barrionuevo.

O advogado, que presta serviços ao Coritiba e trabalha no escritório do presidente coxa-branca Giovani Gionédis, é o mesmo que defendeu os atacantes Dagoberto e Aloísio, em processos abertos pelo Atlético.

Ontem, Barrionuevo solicitou ao juiz da 11.ª Vara que reconsidere a decisão. ?Fizemos três pedidos alternativos. Que a decisão seja revogada, que se libere a condição do atleta até a próxima audiência, e que seja suspensa a multa de R$ 5 mil por dia em que ele não se apresentar ao Atlético?, explica.

Uma audiência sobre o caso está marcada para o dia 19 de janeiro, próxima sexta-feira. Porém, Barrionuevo espera que o jogador seja liberado para defender o Peixe na estréia do Campeonato Paulista, na quarta (17). O Atlético exige uma indenização de R$ 6,5 milhões para liberá-lo.

Segundo Barrionuevo, o contrato em que se baseia a decisão judicial foi interpretado erroneamente pela diretoria do Furacão. ?Quando emprestou o jogador do Bragantino, o Atlético fez um contrato em que tinha preferência na compra de seus direitos federativos e financeiros. Em uma cláusula mal redigida, o documento diz que o jogador tem que assinar um novo contrato caso o Atlético exerça essa preferência, mas não define quais seriam os novos salários e as outras bases. Na verdade, o objetivo era fechar um contrato depois, caso houvesse um acordo entre as partes?, afirma.

O advogado diz que o jogador só soube da liminar conseguida pelo Atlético (expedida em 15 de dezembro de 2006) antes de se apresentar ao Santos, na última quinta-feira. ?Depois que terminou o Campeonato Brasileiro, o Marcos Aurélio voltou para o interior de São Paulo e rescindiu seu contrato com o Bragantino, pagando a multa rescisória. Depois, acertou sua transferência para o Santos. Ele não foi notificado da decisão judicial?, garante.

No pedido protocolado ontem, Barrionuevo deixa claro que o jogador se recusa a jogar novamente pelo Atlético. ?Ele não tem interesse em jogar num clube que está tentando impor um salário e condições contratuais que ele não aceita.

Na verdade, ele está impedido de exercer sua profissão e é isso que procuramos mostrar?, conclui.

Atlético lança campanha para atrair sócios

O Atlético está lançando uma nova campanha para atrair sócios. Ao invés dos pacotes de ingressos para a temporada, este ano o Furacão está apostando em um novo modelo. Para se associar ao clube da Baixada, o torcedor pagará uma mensalidade, com o valor dependendo do setor da Arena onde pretende assistir aos jogos.

A partir deste ano, o estádio rubro-negro será dividido em apenas duas áreas: retas e gols. As retas vão incluir os antigos setores Getúlio Vargas, curva Madre Maria e curva Buenos Aires. Os gols serão formados pelas cadeiras da Buenos Aires e Madre Maria. Não haverá mais distinção entre os setores inferior e superior.

Para ter direito a assistir a todos os jogos do Atlético no setor gols, o sócio pagará R$ 60 por mês.

O valor sobe para R$ 80 nas retas. Quem aderir à campanha também poderá votar nas eleições do clube, após completar um ano como sócio, como prevê o estatuto do clube.

Os preços dos ingressos também serão alterados.

A entrada mais barata na Arena passa de R$ 25 para R$ 30, no setor curvas.

As retas terão preço único de R$ 40. Assim, quem virar sócio vai economizar em relação ao torcedor comum. O valor do desconto vai variar de acordo com a campanha do clube nos campeonatos que vai disputar. Em 2007,

o calendário rubro-negro prevê o Paranaense, Copa do Brasil, Brasileirão e Sul-Americana.

Se for eliminado na primeira fase de todos os torneios, o Atlético fará 29 jogos na Arena. Assim, o sócio pagará 17% a menos que quem comprar todas as entradas nas bilheterias. O desconto chega a 35% se o Furacão chegar a todas as finais, fazendo 43 partidas em seu estádio. Sem contar os jogos da Copa Paraná, prevista pela Federação Paranaense para o segundo semestre, mas sem fórmula de disputa definida.

A campanha de angariação de sócios começa na próxima segunda-feira. Para se associar, o torcedor deverá comparecer ao espaço Sócio Furacão, montado em frente à Arena.

Furo

A nova campanha de sócios vazou antes de o Atlético fazer o anúncio oficial. As informações foram divulgadas pelo site www.furacao.com. O portal de notícias sobre o Rubro-Negro disponibilizou o link para uma página especial sobre a promoção, hospedada no site do clube (www.atleticopr.com).

A página foi tirada do ar momentos depois da divulgação pelo furacao.com. O diretor de marketing do clube, Mauro Holzmann, diz que os dados apresentados ainda não estão confirmados e que a torcida terá novidades na segunda-feira.