A Associação de Futebol Argentino (AFA) anunciou nesta terça-feira que o seu atual presidente interino, Luis Segura, continuará no cargo até 29 de junho de 2016, quando seu sucessor será eleito – caso seja candidato, ele pode receber um novo mandato.

O Comitê Executivo da AFA definiu essa data um dia após a Inspeção Geral de Justiça emitir um parecer no qual dava à entidade um prazo de 80 dias para definir uma nova votação e encerrar a polêmica criada após a eleição anulada de 3 de dezembro.

Naquela oportunidade, a apuração mostrou um empate em 38 votos sobre um total de 75 membros da assembleia que deveriam escolher entre o apresentador de TV Marcelo Tinelli e Segura. Ou seja, houve um voto a mais.

A AFA inicialmente tinha marcado nova eleição para 18 de dezembro, mas a Justiça da Argentina aceitou a liminar interposta pelo Independiente Rivadavia, um clube de Mendoza, para que a votação fosse suspensa por supostas irregularidades na convocação da mesma.

Estas são as primeiras eleições para presidente da AFA em quase 40 anos. Julio Grondona comandou a entidade de 1979 até sua morte, em julho de 2014.

A ação judicial levou a Fifa a enviar, em 23 de dezembro, à AFA uma nota exigindo explicações, porque o seu estatuto proíbe a apresentação de recursos a tribunais de fora da esfera esportiva.

O Comitê Executivo da AFA também decidiu prorrogar o mandato de Segura até as eleições. Não está claro se Segura e Tinelli se apresentarão como candidatos para a nova votação. Segura disse que ainda não havia tomado uma decisão, enquanto Tinelli, que também é vice-presidente do San Lorenzo, não se pronunciou.

Por se tratar de uma nova eleição, qualquer interessado pode se candidatar, desde que apresente o aval de sete membros do comitê executivo, que é composto por 44 dirigentes de clubes das diferentes divisões do futebol argentino.