Valdeno Brito levou o prêmio de um milhão de dólares para casa após vencer a sétima etapa da Stock Car no domingo (31). E, além da “bolada”, o paraibano praticamente garantiu sua vaga no playoff, assim como Alceu Feldmann, que utilizou a estratégia mais ousada da corrida.

O paranaense foi o primeiro a colocar pneu para pista seca, apostando que a chuva pararia no decorrer da prova. “Fiz isso porque comecei minha carreira nas pistas de terra, onde a aderência dos pneus é baixa”, destaca Feldmann. Ele chegou a cair para a última posição nas primeiras voltas, mas assim que o trilho seco foi sendo formado ultrapassou um a um até assumir a liderança na 18.ª volta.

Feldmann fechou a prova na quinta posição e chegou a 46 pontos, garantindo “estatisticamente” sua vaga nas finais do campeonato. Nos anos anteriores, o piloto que somou 45 pontos nas primeiras oito provas entrou para o playoff. Na temporada atual o paranaense está na zona de classificação desde a segunda corrida.

Após a bandeirada no Rio, ele reclamou do ponto de colocação do radar que controla a velocidade dos pilotos no pit lane. “Mudaram o sensor de lugar e eu não fui avisado. Por isso, perdi segundos preciosos no pit stop e, em conseqüência, uma vaga no pódio da corrida”, lamenta Feldmann.

O piloto segue ainda mais confiante para a próxima etapa, que definirá os dez finalistas da atual temporada. “O circuito de Londrina me traz boas lembranças. Foi lá que conquistei meu primeiro pódio, em 2000. Depois do bom desempenho do carro aqui em Jacarepaguá sinto que estou pronto para vencer minha primeira corrida na Stock”, destaca Alceu.

Antes da corrida de Londrina, no dia 13 de setembro, ele volta à ativa no próximo fim de semana, na quinta rodada dupla da GT3. Na última corrida, a bordo de um Dodge Viper, Feldmann venceu em São Paulo, tendo outro paranaense, Lico Kaesemodel, como parceiro. Aliás, a dupla será mantida nas corridas deste fim de semana em Jacarepaguá.