Um atleta alemão que não teve a sua identidade revelada deu positivo em um exame antidoping, no primeiro caso deste tipo nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi. O Comitê Olímpico Alemão disse nesta sexta-feira que foi notificado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) no fim da noite de quinta-feira que um dos seus atletas testou positivo na primeira amostra. A contraprova ainda vai ser analisada, explicou a entidade.

Os alemães não identificaram o atleta, o esporte ou a substância. Os atletas enfrentam um processo de doping se ambos os testes derem positivo e é muito raro que a contraprova apresente um resultado oposto ao da primeira amostra. O COI se recusou a confirmar ou negar o caso de doping em razão das suas regras para lidar com tais situações.

Todos os atletas considerados culpados em casos de doping são desclassificados e tem os resultados cancelados, além de perderem suas medalhas, se as tiverem conquistado. Até o início das competições nesta sexta-feira em Sochi, a Alemanha ocupava a terceira colocação no quadro geral da Olimpíada de Sochi, com 16 medalhas, sendo oito de ouro.

Em Sochi, o COI se programou para realizar 2.453 exames antidoping, um recorde para os Jogos de Inverno. A maioria deles em esportes de resistência, como esqui cross-country e biatlo. A entidade também armazenará amostras para analises futuras, que serão realizadas quando novos métodos para descobrir casos de doping estiverem disponíveis. O período irá variar de oito a dez anos, dependendo dos parâmetros do novo Código Mundial Antidoping.