Allan já está treinando normalmente,
aguardando a documentação chegar da Coréia.

Mais um ?bom filho? volta para casa. O zagueiro Allan retornou para o Coritiba após quase três anos para “reparar um erro”. Ele deixou o clube aproveitando-se de uma trapalhada da direção anterior, e foi acusado de abandonar o Couto Pereira sem dar satisfações.

Trazido pelo presidente Giovani Gionédis, que anunciou sua contratação na semana passada, Allan quer começar a jogar o mais rápido possível.

O parnanguara Allan Rodrigo Aal, 25 anos, filho do ex-jogador do Coxa Erwin (o Vivi), começou nas categorias de base e em 2000 foi guindado ao elenco profissional. Ele nunca conseguiu firmar-se como titular, mas teve bons momentos – o melhor deles na Copa dos Campeões de 2001, quando foi um dos destaques do time treinado por Ivo Wortmann e que chegou às semifinais da competição.

No brasileiro daquele ano, Allan alternava como titular e reserva quando “sumiu”. Amparado em uma liminar da Justiça do Trabalho, o zagueiro tornou-se livre (graças ao não pagamento do Fundo de Garantia) e tentou jogar na Alemanha e na França. Depois, sem conseguir nada na Europa, ele foi parar no Botafogo, onde teve uma séria contusão no tornozelo. De lá, saiu para a Coréia, atuando na equipe da cidade de Daejeon.

Os primeiros passos no Oriente foram complicados, mas depois de um tempo Allan se acostumou. “Eu cheguei a comer carne de cachorro”, comenta o zagueiro, que apesar de tal ?iguaria? não se adaptou ao país e resolveu voltar. Aí entrou Vivi, que além de ex-jogador do Coxa foi diretor do Rio Branco, e sabe com lidar com situações que parecem incontornáveis.

O zagueiro talvez pensasse que nem fosse mais possível voltar para o Alto da Glória, pelo que foi dito a seu respeito quando deixou o clube. “A minha intenção é, além de jogar futebol, reparar um erro que foi cometido”, diz, sem entrar em muitos detalhes. Ele ficou chateado com os então dirigentes, assim como a direção também ficou irritada com a atitude dele. “Acho que o mais importante agora é retomar meu trabalho no Coritiba e ajudar o time no brasileiro.”

A documentação de Allan ainda não chegou da Coréia, mas espera-se que ele possa reunir condições de jogo ainda esta semana – possivelmente para a partida contra o Atlético-MG, domingo, em Belo Horizonte. “Estou muito feliz em voltar para cá. E quero estar em campo o mais breve possível. Fisicamente estou bem, e no momento em que a papelada estiver pronta, eu estarei à disposição do Lopes”, avisa. Quinta, no jogo com a Ponte Preta, o zagueiro volta a ser o que sempre foi: um torcedor do Coxa.