Depois de 18 temporadas, o volante Massimo Ambrosini anunciou nesta sexta-feira que está deixando o Milan. O veterano de 36 anos não teve seu contrato renovado pelo clube, pelo qual teve uma trajetória extremamente vitoriosa, com a conquista de duas Ligas dos Campeões (2002/03, 2006/07), um Mundial de Clubes (2007), quatro Campeonatos Italianos (1995/96, 1998/99, 2003/04, 2010/11), entre outros.

“Esta é minha última entrevista coletiva como jogador do Milan e eu gostaria de agradecer a todos pelos 18 anos fantásticos, que eu nunca vou esquecer. Não tenho Facebook ou Twitter, mas eu sei de todo o carinho demonstrado pelos torcedores rubro-negros e quero agradecê-los”, declarou, emocionado.

Com a saída de Ambrosini, o Milan dá sequência na renovação do elenco, que vem sendo promovida nas últimas duas temporadas. O volante era o último dos experientes líderes da equipe, após a saída de nomes como o zagueiro Alessandro Nesta, os volantes Andrea Pirlo e Gennaro Gattuso, o meia Clarence Seedorf e o atacante Filippo Inzaghi.

Apesar da clara gratidão ao clube milanês, Ambrosini não escondeu a tristeza por não ter seu contrato renovado. Ele, no entanto, descartou qualquer críticas aos dirigentes. “Precisei ficar uns dois dias afastado para me recuperar da inevitável tristeza. Mas gostaria de agradecer ao presidente Adriano Galliani por esses 18 anos belíssimos aqui”, comentou.

Revelado pelo Cesena no início da década de 90, o volante ainda teve uma breve passagem pelo Vicenza antes de marcar época no Milan. Nem sempre titular, ele alcançou a expressiva marca de 489 partidas pelo clube, nas quais marcou 36 gols. Apesar da idade, o jogador afirmou que pretende continuar atuando profissionalmente. “Ainda me sinto como jogador e quero continuar atuando.”