Ameaçado de punição pelo Manchester City por ter deixado a concentração da equipe na Espanha sem avisar o técnico Mark Hughes, o atacante Robinho soltou uma nota oficial nesta quinta-feira (22) para tentar acalmar os ânimos no clube, dizendo que está feliz na cidade e na equipe.

“Eu gosto de morar em Manchester e tenho muitos amigos no time e na cidade desde que eu cheguei, no ano passado. Admiro os fãs do Manchester City, que são verdadeiros amantes do futebol, e espero marcar o máximo de gols possível para ajudar o nosso time a subir a um nível mais alto”, afirmou o jogador, que alegou problemas particulares e disse que já tinha combinado essa viagem anteriormente.

Robinho disse ainda que não tentou questionar a autoridade do técnico Mark Hughes. “Eu tenho um bom relacionamento com o treinador Mark Hughes e sempre respeitei suas decisões. Ele é quem manda”, afirmou o jogador, que prometeu retornar “nos próximos dias”.

O City aproveitou um período de folga no Campeonato Inglês para realizar uma pré-temporada nas Ilhas Canárias, na Espanha. Na segunda-feira, à noite, no entanto, Robinho deixou o hotel sem avisar ninguém. E, quando voltar, será recebido por Hughes para uma “conversa séria”, como relatou o técnico ao site do clube nesta quinta.

“Ele saiu sem permissão, e não é a situação ideal, então quando ele chegar vou ouvir uma explicação mais detalhada, explicar a ele minha opinião, e então tomaremos a decisão adequada”, afirmou o treinador. Hughes contou ainda que Robinho reiterou a ele que sua viagem não tem nada a ver com o fracasso na contratação de Kaká. “Ele me disse que já estava no avião quando o negócio com Kaká foi morto e enterrado. Quem tenta juntar uma coisa à outra está só tentando criar problemas”, concluiu.