No atletismo, uma maratona tem pouco mais de 42 quilômetros. Na natação, a maratona aquática olímpica é disputada em percurso de 10 quilômetros. Neste domingo, Ana Marcela Cunha mostrou que o termo “maratonista” é pouco para ela. A brasileira venceu a 49.ª edição da Travessia Capri-Nápoles, na Itália, batendo o novo recorde de uma prova de 36 quilômetros.

Atleta do Sesi-SP, Ana Marcela completou a travessia em 6h24min45s, superando em cerca de sete minutos o recorde que pertencia à italiana Martina Grimaldi, principal rival das brasileiras no Circuito Mundial da modalidade. No total, 30 pessoas (20 homens e 10 mulheres) largaram para a prova, válida pelo Grand Prix de Águas Abertas da Fina (Federação Internacional de Natação).

“Estou exausta mas absurdamente feliz. É sensacional você acreditar em um sonho e conseguir alcançá-lo. Parecia algo impossível, inimaginável. É muito desgastante, um desafio para poucos. Agradeço a todos os meus patrocinadores e ao meu clube, que, de alguma forma, contribuíram para que pudéssemos levar este título inédito e com recorde para o Brasil na primeira vez na história”, festejou Ana Marcela.

A baiana utilizou, durante a prova, uma touca personalizada, lembrando o capacete de Ayrton Senna. “Tive que impor um ritmo forte para poder acompanhar os homens sem perder o pelotão de frente. O mar não estava fácil e água muito salgada. Mas felizmente deu tudo certo e a homenagem a Ayrton Senna se completa com vitória e recorde, do jeito que ela gostava”, completou.