Após dois anos sendo ‘desprezado’ pelos clubes da capital, o Campeonato Paranaense voltou a ser de ‘suma’ importância. Isso foi comprovado no último domingo(8), no Atletiba que sacramentou o título de 2016 para o Atlético. Jogadores e torcedores comemoram a conquista como se fosse um título mundial.

Em 2014 e 2015, anos em que o título paranaense ficou com Londrina e Operário, respectivamente, o Furacão não estava nem aí para o campeonato, tanto que colocou em campo sua equipe sub-23. Era comum ouvir comentários de torcedores afirmando que o “ruralzão” não tinha qualquer relevância, que o que importava mesmo era o Brasileiro.

Pois bem, agora tudo mudou. Depois do título conquistado em cima do maior rival, a torcida rubro-negra não se cansa de comemorar, bate no peito e dizer com o maior orgulho do mundo, “somos campeões paranaenses”.

Esta edição do Campeonato Paranaense foi muito equilibrada. Começou lá no final de janeiro com o Trio de Ferro dando as cartas. Porém, logo as equipes do interior mostraram que não estavam apenas participando da competição.

Apareceram bons times, com destaques individuais e esquemas táticos bem montados. Toledo, PSTC, Londrina e Foz deram muito trabalho e revelaram alguns bons jogadores. Tanto que vários já estão em outras equipes para a disputa do Campeonato Brasileiro. Mas a maior surpresa foi o PSTC, que fez sua primeira aparição na elite do futebol estadual. E fez bonito, chegou até a semifinal, quando foi eliminado pelo Coritiba. Também fez a final do interior contra o Londrina e, em dois jogos bem disputados, perdeu a decisão nas cobranças de pênalti, terminando como vice-campeão.

Uma decepção foi o Operário. Campeão em 2015, quando conquistou o primeiro título de sua história, o Fantasma ficou devendo e, além de não chegar nem nas quartas de final, acabou rebaixado para a segunda divisão, ondeterá a companhia do Maringá.

Agora as atenções se voltam para o Campeonato Brasileiro, que começa neste fim de semana. Teremos Atlético e Coritiba na Série A, Paraná e Londrina na Série B, J.Malucelli, Maringá e PSTC na Série D.