São Paulo – Ânderson Lima, lateral-direito do São Caetano, é um dos jogadores que interessam ao São Paulo para o ano que vem. Leão não pediu sua contratação – ainda não pediu nenhum jogador – mas já o elogiou bastante aos diretores. Ele foi técnico de Ânderson no Santos em 98, no Grêmio em 2001 e em sua breve passagem pela seleção brasileira, em 2001.

O aproveitamento ruim do São Paulo em bolas paradas sempre é citado por Leão como algo a ser corrigido rapidamente. E o São Caetano, de Ânderson, é o exemplo a ser seguido. No Campeonato Paulista, o São Caetano eliminou o São Paulo com dois gols de cabeça de Fabrício Carvalho, completando dois escanteios cobrados por Ânderson Lima. Ele tem contrato com o São Caetano até 31 de dezembro de 2006 e esse é o maior complicador para sua vinda.

A boa fase de Cicinho não é empecilho. Leão prefere Ânderson. E, além do mais, o contrato de Gabriel, lateral reserva, que termina em 3 de janeiro de 2005, só será renovado com uma substancial queda de valores. Atualmente, ganha R$ 86 mil mensais.

O São Paulo busca dois atacantes, um meia e um volante com boa saída de bola. Nomes como os de Petkovic, Fernandão e Luizão são os preferidos. Mas, caso peçam muito, darão lugar a Christian (Paraná), Josué (Goiás) e outros.

Para o jogo contra o Botafogo, amanhã, às 18h, no Morumbi, César Sampaio está escalado em lugar de Renan, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Edcarlos, que tem agradado a Leão por sua seriedade, deve substituir Rodrigo, também suspenso pelo terceiro cartão amarelo. E Vélber, que fez um bom treino, pode substituir Nildo, como companheiro de Grafite no ataque. Alê, com dores no músculo adutor da coxa direita, é dúvida. José Ramalho pode entrar em seu lugar.

São Caetano se diz pronto para reação

São Caetano –

Num clima mais desanuviado, o São Caetano realizou seu coletivo-apronto para o jogo diante da Ponte Preta, amanhã, às 18h, no Majestoso, em Campinas. Na tentativa de superar o trauma provocado pela morte do zagueiro Serginho, os jogadores falam em reabilitação após a inesperada derrota para o São Paulo, por 4 a 2, quarta-feira, no Morumbi.

Para o lateral-direito Ânderson Lima, líder e capitão do time, “a situação está voltando aos poucos à normalidade”. O goleiro Sílvio Luiz também acha que chegou a hora de “continuar a vida” e também de se recuperar das eventuais falhas que teve na última derrota. Ele só reconheceu a falha num dos gols, quando soltou a bola depois de ser atrapalhado pela luz dos refletores. “Mas vamos para Campinas para retomar nossa caminhada em busca do título”, assegurou.

O técnico Péricles Chamusca comandou o coletivo à tarde e praticamente definiu o time, com três mudanças. Na defesa acontece a entrada de Gustavo, após cumprir suspensão, ao lado de Marco Aurélio e Dininho. Assim, Ceará volta a atuar como lateral-esquerdo improvisado. No meio-campo, Marcelo Mattos deve entrar na vaga de Paulo Miranda, embora ainda exista uma pequena indefinição. No ataque, Fernando Baiano é mesmo o mais cotado para substituir a Fabrício Carvalho, artilheiro do time com 14 gols, mas que cumprirá suspensão automática por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Warley é a outra opção. No treino, o time treinou das duas formas.

O São Caetano precisa mesmo retomar sua briga pelas primeiras posições. Com 65 pontos, o Azulão ocupa a quinta posição, embora tenha um jogo a menos do que seus concorrentes. O jogo com o Paraná foi transferido para dia 10, quarta-feira, no ABC.