Escalado como titular no treino desta terça-feira em um meio-campo que não contou com Renato, Elkeson e Maicosuel, todos lesionados, o meia Andrezinho minimizou o peso dos desfalques que o Botafogo acumula antes do início da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca, no qual o time estreia contra o Americano, nesta quinta, às 19h30, fora de casa.

O jogador disse que aposta no poder de reposição do elenco comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira, que escalou o meio-campo do Botafogo nesta terça com Felipe Menezes improvisado como volante ao lado de Marcelo Mattos e os reservas William e Fellype Gabriel formando um trio de meias com Andrezinho na armação.

“Desde que cheguei digo que um campeonato ganhamos com um grupo forte. Sempre depositei confiança neste grupo, porque a gente sabia que ia perder jogadores por contusões, convocações ou cartões. Mas a gente tem um grupo. É claro que se perde entrosamento, mas o que entram estão doidos para jogar”, afirmou Andrezinho, nesta terça-feira.

Mas, apesar do discurso positivo do atleta, os problemas do Botafogo não se restringem apenas ao meio-campo. No ataque, Loco Abreu é desfalque certo diante do Americano, pois foi convocado para amistoso desta quarta da seleção uruguaia. Já Caio, com dores musculares, treinou separadamente. Com isso, Herrera foi escalado como único atacante de ofício no treino desta terça.

Para completar, os meias Cidinho – com lesão na coxa esquerda – e Vitinho – que torceu o pé esquerdo em acidente doméstico na segunda-feira – são outros que preenchem o lotado departamento médico botafoguense.

Andrezinho, porém, confia na qualidade dos jogadores que entrarão na equipe. “O grupo do Botafogo é excepcional. Vejo muita qualidade em cada um, dentro de suas características”, disse o meia, antes de completar: “Os nomes serão diferentes, mas o esquema tático será o mesmo. O método de trabalho Oswaldo não funciona somente com 11 jogadores, mas com o grupo todo”.