Após afirmar reiteradas vezes que não tem qualquer participação nos contratos que levaram o ex-presidente José Maria Marin à cadeia, o atual mandatário da CBF, Marco Polo Del Nero, disse ficar “triste” com a detenção do “amigo”. Del Nero declarou ainda que Marin não pode ser considerado culpado antes de encerradas as investigações.

“Eu, como advogado, entendo que uma pessoa é considerada culpada apenas após o trânsito em julgado. Não tem como ser diferente”, defendeu Del Nero. “É triste, a gente presta solidariedade ao ser humano, ao amigo. Mas, na função de presidente da CBF, tenho que tomar decisões.”

A declaração foi dada, nesta sexta-feira, ao explicar a retirada do nome de José Maria Marin da fachada da CBF, ocorrida na manhã de quinta-feira após autorização do próprio Del Nero. “Face uma determinação da Fifa de um banimento temporário de 90 dias, a diretoria resolveu tirar o nome dele”, declarou.