O Ceará anunciou, no início da tarde desta quinta-feira, a demissão do técnico Mário Sérgio e de toda a sua comissão. O treinador foi dispensado um dia depois de o time ser derrotado pelo Fluminense por 3 a 1, no Engenhão, pelo Campeonato Brasileiro. O resultando deixou a equipe cearense na 11.ª posição da tabela.

Curiosamente, o Ceará destacou em seu site oficial que demitiu o treinador exatamente um mês depois de contratá-lo, enfatizando que o mesmo “só assumiu o time alguns dias depois”, o que teoricamente configura um erro de planejamento.

Mário Sérgio comandou o time cearense em apenas seis jogos, nos quais contabilizou quatro derrotas, um empate e apenas uma vitória. A demissão mostra a exigência da diretoria do Ceará por bons resultados a curto prazo, pois anteriormente havia demitido Estevam Soares também após apenas seis jogos do treinador, que obteve quatro empates e duas derrotas na equipe.

Antes disso, PC Gusmão, hoje no Vasco, dirigiu a equipe nas sete primeiras rodadas do Brasileirão. Portanto, após 20 partidas no Nacional, o Ceará corre atrás do seu quarto técnico para a competição.

Além de confirmar a saída de Mário Sérgio, o clube anunciou que irá reintegrar ao elenco principal cinco jogadores que estavam treinando em separado dos demais atletas: Adílson, Erivelton, Diogo, Marcos Pimentel e Clodoaldo.