A derrota para o Coritiba por 2 a 1, no Morumbi, deixou o São Paulo com a obrigação de conquistar um bom resultado diante do Bahia, no próximo domingo, no fechamento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. A avaliação é do técnico Dorival Junior.

“Sairemos no domingo com uma obrigação grande. É preciso que voltemos a ter equilíbrio para jogar com tranquilidade”, disse o treinador em entrevista coletiva após a derrota, na noite de quinta-feira. “As oscilações aconteceriam. É um fato normal pelo momento. Temos que ter essa consciência. Os jogadores estão readquirindo confiança”.

O São Paulo permaneceu seis rodadas na zona do rebaixamento até a vitória sobre o Botafogo por 4 a 3, na 17ª, que garantiu um “respiro” na competição. Nesta quinta-feira, após a derrota para o Coritiba, por 2 a 1, dentro do Morumbi, a equipe está novamente entre os quatro piores da competição.

Domingo, o adversário é o primeiro time fora da zona da degola do Brasileirão. “Precisamos recuperar fora de casa os pontos que perdemos em casa”, definiu o volante Petros.

O diretor de futebol Vinícius Pinotti reclamou da atuação do árbitro Péricles Bassols, indignação que foi compartilhada pelos jogadores. A principal reclamação é sobre o pênalti de Bruno em Rildo, que originou o primeiro gol do Coritiba. Segundo o diretor, a atuação de Péricles Bassols foi “vergonhosa”.

“Não foi pênalti. Desde o primeiro minuto ele segurou o jogo, teve pouquíssimo tempo de bola rolando. Dentro de casa, foi vergonhosa. Teve um cartão para um que era para outro. Saímos indignados”, disse Pinotti que prometeu se reunir com o presidente Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, para definir alguma providência a ser buscada junto à CBF.