Atropelada na final do Aberto da Austrália neste domingo, a russa Dinara Safina, que poderia se tornar a nova número 1 do mundo caso tivesse vencido a norte-americana Serena Williams, afirmou que o nervosismo não atrapalhou o seu desempenho. A russa perdeu o jogo por 6/0 e 6/3 em apenas 59 minutos.

“Eu não estava nervosa, nem perto de como foi na decisão de Roland Garros. Não consegui dormir naquela noite. Hoje eu dormi bem e tudo estava bem. Foi uma pena”, lamentou a russa, que perdeu a final do Grand Slam francês em 2008 para a sérvia Ana Ivanovic.

Safina afirmou que não compreendeu a queda no seu aproveitamento em comparação às partidas anteriores. “Estava fazendo um jogo agressivo, acertando as bolas com precisão. E então eu entrei na quadra e foi como se a minha sombra estivesse jogando. É como se a Dinara estivesse lá, mas não era eu”.

Apesar da derrota, a russa não mostrou decepção. “Se eu tivesse perdido na primeira rodada, naturalmente estaria sentada aqui avaliando a situação. Mas eu perdi na final. Percorri todo o caminho. Há mais coisas positivas do que negativas. Não vejo motivo para preocupação”.

Por essa razão, a tenista espera voltar a disputar outras finais de Grand Slam. “Espero que essa não seja a última. Ainda tenho tempo. Apenas tenho que entrar em quadra e praticar. E tentarei trabalhar o máximo possível para evitar que eu repita os erros de hoje”.