Duas das principais potências olímpicas vão usar as instalações do Flamengo durante os Jogos Olímpicos do Rio. Nesta segunda-feira, o clube rubro-negro anunciou que assinou contrato com a Associação Olímpica Britânica (BOA, na sigla em inglês), o comitê olímpico da Grã-Bretanha, para que “importante parte” da delegação daquele país fique na Gávea durante os Jogos. Acordo semelhante, ainda que mais amplo, já existia com os Estados Unidos.

De acordo com o Flamengo, os britânicos usarão a nova piscina – que está em fase final de obras – para o treinamento de algumas modalidades, além da academia de musculação da Gávea e das salas para repouso dos atletas. Em troca, a BOA vai pagar a instalação de equipamentos de alto nível no centro de alto rendimento do Flamengo.

“Uma das melhores partes do acordo é o intercâmbio de conhecimento com o Flamengo, os jogadores, os clubes, dirigentes, treinadores. É uma experiência única, nunca fizemos isto antes e poder ter essa troca de experiências entre os esportes que estarão aqui no Flamengo irá beneficiar os dois lados e deixará um legado. Estamos animados para manter uma transferência de conhecimento estável a longo prazo”, disse Jan Paterson, diretora da BOA.

Pelo que brevemente explicou o Flamengo, a parceria é diferente da firmada pela BOA com o Minas Tênis Clube. Os britânicos vão utilizar as instalações do clube de Belo Horizonte no período de aclimatação ao Brasil, antes dos Jogos.