O presidente da Fifa, Josep Blatter, não viajará para a Malásia na próxima semana, onde haverá reunião do Comitê Olímpico Internacional (COI) para definição da sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022.

Blatter, que foi membro do COI durante 16 anos, sempre compareceu às reuniões anuais da entidade, mas tem desistido de viajar desde quando os Estados Unidos deflagrou as investigações na Fifa de corrupção, em maio.

O dirigente já deixou de viajar para o Mundial Sub-20 na Nova Zelândia e também para a Copa do Mundo de futebol feminino no Canadá. O único evento que está programado para Blatter comparecer é o sorteio das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, em São Petersburgo, na Rússia.

Na reunião do COI, a Fifa deve ser representada pelo camaronês Issa Hayatou, um dos vice-presidentes, que também é membro da entidade olímpica. O encontro está previsto para acontecer entre 31 de julho e 3 de agosto.

Nesta segunda-feira, um protesto interrompeu a coletiva de Joseph Blatter, a primeira desde que anunciou que renunciaria ao seu cargo de presidente. O comediante inglês Lee Nelson jogou notas falsas de dinheiro no dirigente que, abalado, pediu para que se retirasse da sala. Nervoso, o dirigente anunciou apenas que sairia por alguns momentos para que o chão, repleto de notas, fossem retiradas. “Isso não tem nada a ver com o futebol. Temos de limpar a casa”, declarou Blatter.

O protesto ocorreu no mesmo dia em que a Fifa confirmou a sua próxima eleição presidencial para 26 de fevereiro de 2016, data estabelecida depois de uma reunião do Comitê Executivo da entidade, nesta segunda, em Zurique.