A construtora WTorre divulgou comunicado no final da tarde desta quinta-feira para anunciar que trocou a empresa que fornece a alimentação para os operários no canteiro de obras da Allianz Parque, futuro estádio do Palmeiras, em São Paulo. Um pouco mais cedo, um grupo de cerca de 100 funcionários fez um protesto no local para reclamar da comida.

Durante o protesto desta quinta-feira, os operários alegaram que alguns companheiros passaram mal no dia anterior porque a comida estaria estragada. Houve uma manifestação na rua Padre Antônio Tomás, em uma das entradas da obra, mas o ritmo da construção da Allianz Parque, aparentemente, não foi afetado.

A WTorre agiu rápido para resolver o problema, anunciando que o fornecedor da alimentação da obra “teve o contrato descontinuado” e que “uma nova empresa foi acionada e começou a operar de imediato”. A construtora também disse que “lamenta o ocorrido”, ressaltando que foi instaurado um “processo de apuração e levantamento de informações para identificar a fonte do problema”.

Ainda segundo a nota oficial, a construtora disse que, em todos os canteiros de obra da empresa, “a alimentação dos profissionais é avaliada diariamente por nutricionistas, que, inclusive, coletam amostras de tudo o que é servido aos colaboradores, para controle de qualidade”.

A previsão é de que o novo estádio do Palmeiras seja inaugurado no segundo trimestre do ano que vem, conforme cronograma da construtora.