Internado na UTI do Hospital São Lucas, em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), o ex-jogador Marinho, que brilhou vestindo as camisas do Colorado e do Pinheiros nas décadas de 70 e 80 e que está passando por séries dificuldades financeiras, deverá começar a receber ajuda em breve. Depois que o Paraná Online divulgou ontem uma reportagem contando o drama vivido pelo ex-jogador, Chiquito, seu ex-companheiro de time e amigo pessoal, recebeu muitas ligações de pessoas ligadas ao futebol oferecendo assistência ao ex-craque que abrilhantou o futebol paranaense em outros tempos.

“Tive vários retornos e recebi muitas ligações de todos os cantos do Estado. De Paranaguá, Maringá, aqui de Curitiba mesmo. Agradeço muito a todos que vão ajudar e, para todos, passei o contato da família e o endereço do Marinho para que as doações possam ser feitas”, contou Chiquito, que espera que esta corrente de ajuda ao ex-jogador se mantenha e que não seja algo momentâneo.

“Todos viram a matéria que saiu, souberam do problema e a repercussão foi muito grande. Minha preocupação é para depois deste período e espero que amanhã ou depois isso não morra e ele não volte a passar por necessidades. Ele é um dos muitos ex-jogadores que precisam de assistência e alguma coisa precisa ser feita. Os ex-jogadores precisam desse assistencialismo e isso deveria partir do sindicato dos jogadores, mas infelizmente não acontece nada”, frisou
Chiquito.

Crítico

Ainda de acordo com Chiquito, o estado clínico de Marinho é crítico. O ex-ídolo de Colorado e Pinheiros está com suspeita de câncer em pelo menos dois locais do seu corpo e que a doença tenha se espalhado. Marinho está respirando com a ajuda de aparelhos e não consegue reconhecer ninguém.

“Já faz quinze dias que ele está internado sem nenhum sinal de melhora ou reação. Ele não reconhece ninguém. Além da ajuda financeira, pedi a todos que me ligaram e que estimam melhoras a ele que rezem muito pelo Marinho. Agora é o que ele mais está precisando para deixar o hospital e voltar a ter uma vida digna”, emocionou-se Chiquito.