O Paraná Clube, depois de seis rodadas na zona do rebaixamento, entrou na semana mais relaxado. O time deixou as últimas colocações e curte os poucos momentos de tranquilidade depois da vitória frente ao Vila Nova-GO. No entanto, poucas horas depois, o nome do técnico Claudinei Oliveira foi especulado para comandar o Náutico. Após a demissão de Sidney Morais, o clube pernambucano procura um treinador para comandar o time e a possibilidade de ter o atual técnico paranista acabou sendo comentada pela imprensa local.

No entanto, nenhuma alteração irá ocorrer no Tricolor. Claudinei Oliveira tem contrato até o final do ano e quer cumprir o seu compromisso com o clube. Além disto, por participar da mesma divisão que o Paraná, o interesse é diferente se fosse da Série A, que acaba tendo uma maior exposição e até mesmo uma diferença financeira.

Preocupaões

No entanto, o treinador está tendo que lidar com preocupações extra-campo. Os jogadores continuam com os salários atrasados e os mais experientes tentam administrar os problemas. Contudo, até os mais rodados sentem a situação, como mostrou o zagueiro Gustavo, ao chorar após o êxito do final de semana.

“Imagine ficar sete meses sem receber e esta é a realidade do clube. Nós lamentamos e cada vez mais tenho orgulho de estar com os jogadores aqui no Paraná. Eles têm se comportado como homens e estão tendo a hombridade e caráter. O nosso ambiente é positivo, porque não tem vaidade e individualismo. Por isto, pedimos para as pessoas que podem ajudar e tem condição que se aproximem do clube e que a direção aceite a colaboração. Qualquer ideia tem que se colocar em prática e precisamos dar as mãos. Temos momento de felicidade no vestiário quando vencemos, mas depois bate a preocupação. A solução precisa ser rápida e o Paraná é maior que tudo”, desabafou o treinador Claudinei Oliveira.

A diretoria reconhece as dificuldades do dia a dia e acredita que estas ações dos jogadores e agora do técnico podem trazer retorno ao clube. “Tenho certeza que a intenção é trazer mais pessoas, torcedores para apoiar o time e ajudar na gestão. O ponto forte disto é a parceria entre time e torcida, mesmo não estando entre os melhores da competição. Isto deve ser exaltado e ampliado em benefícios ao Paraná Clube”, ressaltou Celso Bittencourt, vice-presidente de futebol.

Uma solução para a entrada de dinheiro seria a negociação de jovens atletas. Empresários têm conversado com a direção para tratar do assunto. Alisson, Marcos Serrato e Arthur são jogadores que estão se destacando na Série B e podem deixar o clube ao final do ano.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook