Empolgado com o traçado do Circuito das Américas, Bruno Senna só lamentou a escolha dos pneus colocados à disposição dos pilotos neste final de semana para o GP do EUA.

“A pista é fantástica, com vários tipos de curva e desafios diferentes, pena que a aderência está muito baixa e se você perde o traçado, acaba sujando muito os pneus e parece que a pista está molhada de tão escorregadio que está”, afirmou o piloto da Williams.

“Os pneus médios já estão complicados de fazer funcionar, os duros então estão quase impossíveis. Mas até o fim do final de semana a pista vai ter uma evolução muito grande e vamos ter que trabalhar muito para acompanhar e não perder o ritmo”, completou o brasileiro, que ficou em oitavo na segunda sessão disputada hoje em Austin -pela manhã, Bruno havia ficado apenas na 22ª posição.

Apesar do bom resultado de hoje, o brasileiro acredita que ainda é cedo para fazer previsões para a classificação, que acontece a partir das 16h.

“É difícil dizer se nossa posição é realista porque cada um colocou os pneus diferentes num momento, então fica complicado entender. Mas nosso ritmo de corrida parece estar bem forte. O segredo para a classificação vai ser fazer os pneus funcionarem.”

Para a corrida, cuja largada acontece domingo, às 17h, Bruno acredita que as chances de ultrapassagem existirão. “Mas mais porque as pessoas vão cometer erros do que pelo que a pista oferece.”