A vitória e o bom futebol apresentado diante do México, na estreia da Copa das Confederações, no último domingo, empolgaram os jogadores da seleção italiana. Entre eles, o experiente Gianluigi Buffon, que celebrou a evolução da equipe em relação aos empates contra República Checa (0 a 0, pelas Eliminatórias) e Haiti (2 a 2, em amistoso) e afirmou que vê um “espírito vencedor” nos seus companheiros.

“Ou você tem ou não tem um espírito vencedor, não dá para ativá-lo. Mudamos um pouco taticamente em relação aos jogos contra República Checa e Haiti, mas o espírito já tínhamos. Se contra o México ficou um pouco mais fácil, é nosso mérito. Eu ainda quero ganhar algo importante com a seleção, ainda fico animado quando eu jogo”, comentou, em entrevista ao jornal La Gazzetta dello Sport.

E Buffon não quer saber de outro resultado que não seja o título. Para ele, qualquer outra colocação não poderá ser considerada sucesso pelos italianos. “Ficar entre os quatro primeiros não seria um sucesso. É o nosso primeiro objetivo, mas o sucesso é o título. A diferença entre o campeão e os times que fazem as semifinais é um detalhe”, avaliou.

Mesmo determinado a levar a seleção ao título, Buffon viveu ao lado de seus companheiros uma manhã de folga nesta segunda-feira. Os jogadores foram à praia e o goleiro aproveitou para levar sua esposa e seus filhos, com quem bateu bola. “É melhor do que ir a um shopping. Foi ótimo para jogar futebol com a família, é mais natural”, apontou.