A vitória sobre o ASA não só rendeu a classificação para o Coritiba para as oitavas de final da Copa do Brasil, como também trouxe tranquilidade para o grupo. Segundo o armador Rafinha, a equipe, depois de muito tempo, conseguiu uma atuação convincente. “Foi importante. Fazia tempo que o treinador vinha buscando este equilíbrio. O time jogou bem, buscou o gol e se protegeu bem lá atrás”, disse.

Outro que destacou a atuação do time foi o atacante Anderson Aquino, que fez o segundo gol coxa-branca na partida e chegou a sete na Copa do Brasil, superando a marca de Marquinhos Cambalhota e tornando-se o maior artilheiro do clube no torneio. Para o jogador, a partida deve servir como um divisor de águas para o Alviverde. “O time jogou bem desde o começo. Esta é a cara do Coritiba e foi o nosso divisor de águas. Temos que jogar sempre assim, tocando a bola e partindo para cima do adversário”, avaliou.

Quem também tinha motivos de sobra para comemorar era Tcheco. O meio-campista, que completou 36 anos ontem, abriu o placar com um gol de pênalti, depois de já ter desperdiçado duas cobranças em 2012. “Eu já tinha errado dois pênaltis e estava decidido que seria o Lincoln ou o Aquino, mas aí quando pegaram a bola eu vi que surgiu uma dúvida entre eles e então eu falei: deixa que eu bato. Ganhei este presente. É uma emoção difícil de descrever”, declarou.

Problema

Em uma dividida com o adversário, o volante Willian acabou sentindo o músculo posterior da coxa esquerda e precisou deixar o gramado ainda no primeiro tempo. Hoje, o atleta será reavaliado pelo departamento médico para saber o grau da lesão.

Absolvido

O zagueiro Emerson foi julgado e absolvido, por unanimidade, ontem, pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR), por conta da sua expulsão na derrota do Coritiba por 2 x 0 para o Arapongas. O jogador enfrenta o Operário.