Um prejuízo de meio milhão de reais. Essa é a baixa estimada pela diretoria do Arapongas, em relação aos dias de “sem-teto” que o clube vive no Estadual 2011. Amanhã, contra o Iraty, será a quarta vez que o Alviverde Nortista mandará um jogo fora de casa, já que o Estádio dos Pássaros permanece interditado pela FPF, por causa das condições do gramado.

De acordo com o supervisor de futebol do Arapongas, Sidiclei Menezes, com o campo interditado, diversos patrocinadores estão pedindo a quebra de contrato junto ao clube.

“O prejuízo aqui está sendo muito grande. Muita gente na cidade está lamentando a situação. O sentimento é de tristeza, por tudo que vem acontecendo”, lamentou.

A manutenção do veto ao estádio por parte FPF gerou revolta entre os diretores do Arapongas. “Eles disseram que o campo não tem mais falha, mas a grama não apresenta condições mínimas para segurança dos atletas. Eu, como ex-atleta, penso o contrário. Acho que o campo, se analisar friamente, tem condições de jogo”, disse Sidiclei, que como jogador vestiu as camisas de União Bandeirante e Londrina.

Quem também lamentou foi o presidente do Arapongas, Adir Leme. “O nosso gramado já está em condição de jogo. Anteriormente, posso até dizer que não estaria. Mas agora está”, protestou o dirigente, que já providencia a presença de um engenheiro agrônomo para fazer parte da próxima vistoria da FPF.