Em jogo de arbitragem questionável, o Atlético ficou no empate por 1 x 1 contra o Corinthians, ontem à noite. Na Arena da Baixada, dois gols de pênalti decretaram o placar da partida pela 20.ª rodada Campeonato Brasileiro.

No final, polêmicas à parte, o resultado ficou de bom tamanho pelo futebol apresentado pelas duas equipes. Apesar de que o árbitro baiano Jailson Macedo Freitas apitou o jogo com critérios confusos e conseguiu fazer com que os torcedores do Atlético recordassem os problemas no jogo de ida, no Pacaembu.

Percebendo o ambiente, até mesmo os jogadores do Furacão passaram a ficar nervosos. Aproveitando-se da situação, o Corinthians começou impondo ritmo de jogo, enquanto o Atlético aguardava contra-ataques.

O Timão chegou com Ronaldo e Roberto Carlos, enquanto desperdiçava um bom número de oportunidades com Alessandro e Jorge Henrique. Com Paulo Baier chamando a responsabilidade no lado rubro-negro, o time da Baixada chegou a equilibrar o volume de jogo.

Foi o maestro quem peitou Roberto Carlos e Ronaldo pra colocar ordem na casa. Chegou a chapelar pelo menos três jogadores corintianos e criou oportunidades de perigo para Bruno Mineiro e Maikon Leite.

No entanto, a presença de Jaílson Macedo de Freitas voltou a fazer peso aos 34 minutos. Em um cruzamento do Timão na área do Atlético, Wagner Diniz, que estava de costas para o lance, teve a bola encostada em seu braço.

O juiz interpretou como pênalti, após pressão corintiana, principalmente de Ronaldo. Assim, restou ao Fenômeno bater e fazer. Os gritos de vergonha, além de adjetivos não publicáveis, tomaram conta da Baixada.

Na etapa final, o Furacão voltou a ter problemas com a arbitragem. Logo no início, foi a vez do bandeirinha receber os elogios depois de não marcar escanteio claro para o time da Baixada. Porém, apó uma pequena confusão entre os corintianos e o apitador, a partida ficou mais clara e com a mesma medida na marcação de faltas.

O Atlético foi pra cima e dominou o jogo, marcando seu gol também em uma penalidade. Aos 21, depois de um lançamento de Branquinho para Wagner Diniz, o lateral atleticano puxa a zaga corintiana para a dança. Na sequência, caiu dentro da área e o juiz marcou um pênalti também questionável.

Quem ajeitou a bola foi o atacante Bruno Mineiro, que bateu com categoria e empatou o jogo na Arena da Baixada. A virada poderia ter vindo no final, com o Atlético criando boas oportunidades, inclusive com o paraguaio Ivan Gonzáles, que estreou com a camisa rubro-negra.

O Furacão ainda poderia ter feito quando Paulo Baier chutou do meio-campo e o goleiro Júlio Cesar bateu roupa. Restou ao Atlético comemorar o empate, com pênaltis inventados pela arbitragem.