Moro, de rubro-negro, não gostou nem um pouco
do sorteio que indicou Mafra para o apito.

O ambiente tranqüilo do Coritiba transformou-se ontem com o anúncio do árbitro que vai apitar a grande final do campeonato paranaense, entre Atlético e Coritiba, domingo, na Arena da Baixada.

Foram indicados para o sorteio, que aconteceu pela manhã na Federação Paranaense de Futebol, os árbitros Marcos Tadeu Mafra e Carlos Jack Rodrigues Magno. Na bolinha, deu Mafra, o que despertou a desconfiança alviverde.

“É surpreendente ver um árbitro que não tem história no futebol paranaense ser indicado para o sorteio”, lamentou o vice-presidente do Coritiba, Domingos Moro. Para o dirigente, o mais surpreendente foi tomar conhecimento de que o árbitro da Fifa, Héber Roberto Lopes, que apitou o primeiro jogo, não esteve na disputa. “Também não entendemos porque o Cleivaldo Bernardo, que esteve no primeiro sorteio, ficou de fora. Gostaria realmente de entender qual o critério utilizado”, acrescentou Moro, denunciando que acredita que a escala de arbitragem possa ter sido feita antes que o esperado. “Hoje (ontem) pela manhã recebemos a informação de que a escala já estava feita. Por isso, estaremos absolutamente de olhos abertos para a atuação da arbitragem.”

Para fechar o protesto, Moro fez um apelo. “O campeonato tem que ser decidido em campo, não por fatores externos. É isso que esperamos.”

O técnico Antônio Lopes foi mais enfático e pediu outro sorteio. “Ainda dá tempo. Tem que fazer outro sorteio”, disse o treinador, lembrando que foi de Mafra a arbitragem no jogo contra o Londrina, na fase classificatória do estadual. Ontem, Moro não adiantou que providência a diretoria iria tomar, mas as declarações públicas tiveram tom de alerta.

No ano passado, Marcos Tadeu Mafra virou notícia no cenário nacional ao ser agredido pelo goleiro do América-MG, Fabiano, em partida contra o Avaí, válida pela série B do campeonato brasileiro. O episódio ficou marcado para a diretoria coxa-branca, que teme que ele não consiga conter os ânimos dos jogadores na grande decisão. No primeiro jogo, disputado no Couto Pereira, Héber Roberto Lopes, que tem experiência internacional, suou a camisa para conter os jogadores e distribuiu cartões. “Desejamos a ele um bom desempenho.”

Luís Mário responde Diego: “Ele pode estar com medo”

Na última quarta-feira, o goleiro atleticano Diego deixou a modéstia de lado e deixou bem claro o seu pensamento: o Atlético é mais time que o Coritiba e por isso ficaria com o título.

A declaração foi recebida com ironia no CT da Graciosa. O técnico Antônio Lopes foi direto. “Tem que respeitar a opinião do rapaz. Deixa ele falando e depois nós vamos ver”, afirmou.

O atacante Luís Mário foi mais duro com o arqueiro adversário e disse que para esse tipo de declaração, não se dá resposta. “Ele tem a opinião dele. Deixa que fale. Nós temos a consciência de que nada está ganho, apesar de termos revertido a vantagem”, disse o artilheiro. Para Luís Mário, a afirmação de Diego pode estar revelando receio da última disputa. “Ele pode estar com medo e quer uma auto-afirmação.”

O goleiro Fernando, que iniciou a carreira com Diego no Grêmio, tentou amenizar a situação. “Não é estranho ele dar esse tipo de declaração. Estranho seria se dissesse que o time em que ele joga é pior. Ele acha o Atlético melhor e eu acho o Coritiba melhor. Mas isso só vai ser decidido dentro de campo, no domingo”, disse Fernando.

Lopes na expectativa de contar com Tuta domingo

O técnico Antônio Lopes recebeu um presente no treinamento de ontem. O atacante Tuta, que sofreu uma lesão muscular na coxa direita há dez dias, iniciou o treino com uma corrida leve e ganhou confiança para entrar na movimentação tática.

Entretanto, segundo o médico do clube, William Youssef, apenas após uma avaliação médica hoje o atleta será oficialmente liberado. “Hoje ele pôde treinar um pouco e não sentiu. Isso é um ótimo sinal”, comemorou o médico. Pela programação do DM, hoje Tuta poderá participar de vinte minutos do treinamento coletivo, marcado para o Couto Pereira. Confiante na recuperação do centroavante, o técnico Antônio Lopes já confirmou o time com três atacantes. “Vou entrar com Luís Mário, Aristizábal e Tuta”, repetiu Lopes, que não faz mistérios.

A grande dúvida proveniente do departamento médico, entretanto, recai sobre o lateral-esquerdo Adriano, que deixou o gramado do Couto Pereira mais cedo na partida contra o Sporting Cristal, na terça-feira. O jogador sentiu uma forte dor no músculo da perna e tentou voltar. “Ele não queria deixar o gramado, mas como o local inchou, por precaução o tiramos”, explicou Youssef. E foi o melhor a ser feito. Ontem, o jogador foi submetido a uma ressonância e foi detectada uma contratura. “Ele nem vai precisar treinar para jogar. Se for liberado, vai para o jogo”, diz Lopes.