Chiba (AE) – O prestígio de Carlos Eugênio Simon está em alta na Copa. Além de sobreviver ao corte de 50% dos árbitros que trabalharam no Mundial, o brasileiro é um dos árbitros cotados para apitar uma das semifinais da competição. A informação partiu de um dos árbitros dispensados na quarta-feira, o espanhol Antonio Lopes Nieto. “Se o Brasil não passar pela Inglaterra, o Carlos Simon tem boas chances de trabalhar como árbitro principal em uma das semifinais.”

Apitar a grande final, no entanto, será quase impossível mesmo que o Brasil não se classifique. Quem deve apitar o último jogo da Copa é o italiano Pierluigi Collina, considerado o melhor do mundo. O próprio Simon, no entanto, afirmou ontem que não faz nenhuma questão de ser o árbitro da final. “Prefiro que o Brasil chegue à final e seja o campeão. Eu acho que fiz um bom trabalho nos dois jogos que apitei e já tive o meu reconhecimento. Não fui cortado pelo Comitê de Arbitragem da Fifa e ainda ouvi alguns elogios de meus colegas.”

Simon só não foi escalado nos jogos das quartas-de-final porque o Brasil está envolvido numa das partidas. Se o Brasil passar pela Inglaterra, porém, é bem provável que ele também seja cortado. Mas aí se trata de um critério da Fifa. “Se tiver de voltar, tudo bem. Aprendi muita coisa na Copa do Mundo. Ganhei experiência e vou procurar melhorar o meu trabalho no Brasil. Ainda tenho idade para disputar outras Copas, mas não vou pensar nisso, porque muita coisa pode acontecer até o próximo Mundial. Apenas vou continuar trabalhando, tentando sempre me manter em forma.”