Hedeson A. Silva
Árbitro solta o verbo e diz que
são 10 os ?gaveteiros? do apito.

O árbitro Evandro Rogério Romann tomou as dores da categoria e pôs a boca no trombone. Membro ativo do quadro da CBF, Roman confirmou que existe corrupção na arbitragem local – citando a palavra ?quadrilha? -, acusou o presidente da Associação de Árbitros de omisso por não apresentar provas de maracutaia e convocou todos os apitadores honestos a se unirem para expulsar a ?banda podre? do futebol paranaense.

Em entrevista bombástica veiculada pelas rádios Capital, de Cascavel – cidade onde mora – e CBN, Roman lamentou que árbitros catarinenses estejam apitando jogos da Série Prata. ?Isso só acontece porque há uns 10 árbitros no futebol do Paraná que são corruptos, e todo mundo que milita no esporte sabe disso?, disparou. Até a CBF saberia quem são os ?gaveteiros?. ?Tanto que o Armando Marques (presidente da Comissão Nacional de Arbitragem) há uns quatro ou cinco anos não tem escalado quem faz parte dos esquema?, garante.

Roman, que é professor de Educação Física e ontem apitou Avaí x Santa Cruz, pela Série B, disse que o presidente da Associação Profissional de Árbitros do Paraná, Henrique França Triches, teve uma ótima oportunidade de desmascarar o esquema. ?Infelizmente ele se omitiu quando tinha em mãos provas de depósitos, no final do ano passado. É uma pessoa séria e digna, mas poderia ter ajudado a expurgar essa quadrilha. Tudo isso deixa árbitros honestos, como eu, o (Roberto) Braatz, o Héber (Roberto Lopes) e o Edivaldo (Elias da Silva) em situação constrangedora.?

Roman revelou também que irá enviar ofício à comissão de investigação do TJD, permitindo a quebra de seus sigilos bancário e telefônico. ?Quem não tiver nada a temer, que faça o mesmo. Quero ver quem vai se esconder por trás das maracutaias?, desafiou.

O árbitro chega a citar nomes de clubes paranaenses. ?Dirigentes de Engenheiro Beltrão, Império do Futebol, Nacional de Rolândia e Paranavaí têm muito a falar. Caso se omitam, serão coniventes com a sacanagem e a falcatrua.?

Roman disse ainda que paga a passagem para o árbitro José Francisco de Oliveira, o ?Cidão?, voltar da Inglaterra para o Brasil. Cidão não respondeu aos contatos enviados por correio eletrônico pelo TJD, que pede a oficialização das denúncias de corrupção apresentadas pelo ex-árbitro da FPF. ?A hora que ele quiser, desde que denuncie estes quadrilheiros?, prometeu Roman.

O presidente da FPF, Onaireves Moura, tomou conhecimento das declarações e sugeriu que o Roman venha depor no TJD. ?Estas denúncias precisam ser colocadas no papel. Os árbitros é que devem apontar quem presta e quem não presta. A FPF não tem meios de descobrir sozinha a índole de cada um?, afirmou.