A Arena da Baixada recebeu ontem o segundo jogo do Atlético pela Série A. Porém, somente a imprensa teve acesso, já que o clube cumpre ainda pena imposta pela STJD em decorrência da briga entre torcedores na última rodada do Brasileirão do ano passado, em Joinville. O mesmo torcedor rubro-negro, que prejudicou o Furacão naquele duelo contra o Vasco, teve que ficar do lado de fora, tentando incentivar o time de longe.

Dentro, o Atlético ainda terá que fazer alguns ajustes até a primeira semana de setembro, quando enfrenta o Palmeiras e o torcedor poderá, enfim, acompanhar uma partida oficial no novo caldeirão. Na esplanada do estádio, em frente à Praça Afonso Botelho, há alguns entulhos e algumas calçadas estão quebradas. Os elevadores na área de imprensa, a exemplo do que ocorreu na Copa do Mundo, ainda não estão funcionando. Na frente da área de imprensa, no setor superior da Brasílio Itiberê, algumas bancadas utilizadas no Mundial já foram desmanchadas e deram lugar a novas cadeiras.

Outro ponto que ainda deve preocupar a diretoria é o gramado. Principalmente nas laterais, onde o sol não bate, a grama ainda não é das melhores e, durante o jogo, em lances mais disputados, tufos de grama acabaram saindo, tanto que no intervalo funcionários do Atlético tentaram recuperar os locais mais prejudicados.

Do lado de fora, toda a estrutura usada pela Fifa para abrigar a imprensa na Copa já foi retirada e, se quiser, o clube poderá voltar a utilizar o espaço para estacionamento. O prédio de imprensa ainda está sendo finalizado por funcionários do clube. Ao que tudo indica, a instalação do teto retrátil deve começar em breve. A Rua Buenos Aires, da esquina com a Avenida Getúlio Vargas até a esquina com a Rua Brigadeiro Franco já está bloqueada e, se quiser, o clube já poderá iniciar a instalação da tampa do caldeirão.

Paraná Online no Facebook