A adequação da praça esportiva e áreas adjacentes para que a Arena da Baixada possa comportar jogos da Copa do Mundo de 2014 vai custar R$ 184 milhões. Destes, R$ 138 milhões serão para que o estádio se enquadre ao padrão Fifa e o restante (46 milhões) para a realização de benfeitorias no entorno (principalmente praça Afonso Botelho) que será pago pela Prefeitura Municipal. Caberá exclusivamente ao Atlético arrumar o montante para a conclusão da Arena, por se tratar de um espaço privado.

Todas as condições para que Curitiba consiga sediar o evento foram firmadas em documento (chamado Matriz de Responsabilidade) assinado entre os governos Federal, Estadual e Municipal, além do próprio Atlético.

Ainda há possibilidade de o clube adquirir financiamento do BNDES, mas essa alternativa vem sendo descartada pelo Furacão há meses. No entanto, R$ 25 milhões serão disponibilizados pelo banco.

No Termo de Compromisso consta que as obras no estádio devem seguir o cronograma pré-estabelecido, ou seja, iniciar em 10 de março e terminar em dezembro de 2012.

O Atlético, porém considera ter 70% do estádio construído e, por essa razão, não teria necessidade de começar qualquer obra no próximo mês. O prazo estipulado no documento seria apenas para praças esportivas que sairão da estaca zero ou passarão por grandes reformas, no entendimento rubro-negro.

A reportagem tentou contato com o clube para esclarecer algumas informações, como cronograma de obras e origem de recursos, porém não teve retorno. Segundo assessoria de imprensa do Rubro-Negro, o responsável por tratar desse assunto, o vice-presidente do Conselho Administrativo Ênio Fornea, não se pronunciaria no momento.

Investimento

Pela Matriz de Responsabilidade, os governos estadual e municipal ficam incumbidos de executar e custear obras de mobilidade urbana, entorno do estádio, entorno de aeroporto e terminais turísticos portuários. À União caberá bancar as intervenções nos aeroportos e portos.

A seguir informações sobre custos e prazos estipulados na Matriz de Responsabilidade para Curitiba. (quadro)

Reunião

Curitiba também será a primeira capital do País a receber recursos para implantar equipamentos de segurança e para cadastramento de torcedores em estádios de futebol. A iniciativa é do Ministério do Esporte.

A reunião para a apresentação do projeto Torcida Legal acontecerá hoje à tarde na Prefeitura de Curitiba. Além dos governos Municipal e Federal participarão do encontro representantes do Atlético, Coritiba, Paraná Clube e da Federação Paranaense de Futebol. Cada estádio deverá receber auxílio no valor de R$ 1 a 3 milhões. Quarenta estádios serão beneficiados em todo o País.