Lance Armstrong precisou mostrar agilidade e reflexo nesta quinta-feira, durante a terceira etapa da Tour Down Under, prova na Austrália que marca sua volta à carreira, após mais de três anos de afastamento. Logo no 13º quilômetros da etapa, o ciclista norte-americano escapou por pouco de um acidente logo à sua frente, que tirou da competição nada menos que oito ciclistas, entre eles o alemão Andre Greipel, que venceu a primeira etapa, e saiu com um deslocamento no ombro.

“Perdemos mais corredores nesse acidente do que havíamos perdido em 10 anos de história da prova”, contou o diretor do Tour, Mike Turtur. O australiano Allan Davis, que liderava a classificação geral depois de vencer a segunda etapa, também caiu, mas conseguiu seguir na prova e agora divide a liderança com o ganhador da etapa desta quinta, seu compatriota Graeme Brown.

Armstrong chegou em 32º lugar, mas no meio do pelotão, com o mesmo tempo do vencedor, e agora está em 39º no geral, a 29 segundos de Brown no tempo consolidado. “Foi uma prova bem difícil, com bastante vento, mas me senti bem”, afirmou o americano, de 37 anos, heptacampeão da Volta da França.

Satisfeito com o desempenho até agora, ele só lamenta ainda não ter conseguido recuperar a força para o sprint final, uma de suas principais características. “Esse tipo de coisa eu tenho de fazer na corrida, porque não vai dar para reproduzir no treino”, explicou. Lance ainda reclamou do helicóptero que filmava a prova do alto, por estar perto demais dos ciclistas, o que aumentava ainda mais o vento. “Não os ofendi, mas disse que eles poderiam ter a mesma imagem se fossem alguns metros para cima.”