Aliocha Maurício
Atacante de 17 anos é a nova promessa do Rubro-Negro.

Ele mal completou 17 anos e já é considerado a maior promessa do Atlético nos últimos anos. Uma jóia rara que está sendo preparada para trilhar o mesmo caminho de Kléberson, Fernandinho, Jádson, Dagoberto e companhia. Assim é o atacante Ricardinho, que foi promovido este ano para a categoria principal e já pôde mostrar em dois jogos do Campeonato Brasileiro o seu potencial. Não foi muito tempo em campo mas, mesmo precoce, ele garante que está preparado para assumir a responsabilidade.

?Em primeiro lugar, tenho que manter os pés no chão. O mais difícil já foi feito, que foi a estréia, e agora para frente é só manter a cabeça tranqüila, trabalhar forte e esperar nova oportunidade?, pondera o atacante. Confiança e personalidade é o que não falta ao garoto de Sinop, que começou a despontar no PSTC. ?Estou contente, mas qualquer jogador que quer chegar no topo do futebol nunca pensa só em jogar meio-tempo e sim em entrar jogando e ser titular de uma equipe?, aponta.

Nem a propaganda e toda a expectativa em torno de seu futebol o aflige. ?Nunca é cedo, nem tarde. Promessa faz tempo que falam e eu fico muito agradecido por isso. Eu quero ser uma promessa, mas não uma promessa de base?, diz Ricardo Alves Pereira. De acordo com ele, o futuro vai ser muito bom e ele garante estar com a cabeça no lugar. ?Estou começando agora no time principal e daqui para frente vão acontecer grandes coisas em minha vida?, analisa.

Por isso, ele é tratado como jóia rara dentro do clube. Depois de romper com a Massa Sports, do empresário Ratinho, ele renovou contrato com o Furacão até agosto de 2007 e passou a ser uma das prioridades para os próximos anos. Descoberto por Aleomar Mansano, o Ticão, Ricardinho faz parte da mesma linhagem que deu ao Atlético o futebol de Kléberson, Fernandinho, Jádson e Dagoberto.

?É um sonho de todos os jogadores jogar nos grandes clubes da Europa e para que isso aconteça tenho que continuar trabalhando, que eu tenho certeza que as coisas vão acontecer?, projeta. Inspiração para isso é o que não falta e quem ele mais admira está até bem próximo dele, no dia-a-dia do CT do Caju. ?Eu tenho um espelho aqui no Atlético, desde os tempos do PSTC, que é de lá também e é o Dagoberto. Eu busco fazer as coisas que ele faz porque o que ele fez todo mundo gosta e ele é uma pessoa que me inspira muito?, finaliza o candidato a craque.

Mais uma baixa no elenco

A bruxa continua solta e rondando o CT do Caju, para desespero do técnico Antônio Lopes, que cada vez mais vê sua equipe sendo desfalcada. A bola da vez foi o volante Alan Bahia. O jogador voltou a sentir o púbis e ficará afastado dos gramados por duas semanas. Ele se junta a Fabrício, Aloísio e Dagoberto, que também estão no estaleiro. O substituto dele para a partida contra o Santos deverá ser Marcus Winícius.

?O Alan Bahia já tinha um problema crônico de pubalgia e vai ficar duas semanas afastado das atividades normais para voltar a trabalhar?, informa Daniel Tenius, médico do Rubro-Negro. O volante já havia ficado de fora de alguns jogos, conseguiu se recuperar e voltou. A tendência é que os 15 dias afastado sejam suficientes para ele voltar a atuar sem problemas. Em último caso, a saída é a sala de operação.

Se o treinador não pode contar com o volante, pelo menos não perderá o ala Jancarlos. Ele sofreu uma pancada na partida contra o Juventude, mas conseguiu se recuperar. ?Fiz um tratamento intensivo e agora já estou tranqüilo?, afirmou o atleta. Assim, ele está garantido na partida contra o Peixe, às 21h45 de quarta-feira, na Arena da Baixada.

O restante da equipe começou a ser moldado ontem pelo Delegado. Com Lima e Evandro, suspensos, André Rocha, o próprio Marcus Winícius e Dênis Marques serão as novidades. O provável time terá Diego; Jancarlos, Danilo, Paulo André e Marcão; Douglas, Marcus Winícius, André Rocha e Ferreira; Dênis Marques e Finazzi.