O Athletico pagou caro por bater de frente com o Tribunal de Justiça Desportiva do paraná (TJD-PR). No Atletiba da Taça Barcímio Sicupira, apesar dos  protestos do Coritiba e da determinação do Tribunal, o Furacão insistiu em manter a torcida única para o clássico. Resultado? Multa de R$ 200 mil  e suspensão do presidente Luiz Sallim Emed por 360 dias. Na ocasião, a realização do jogo chegou a ficar ameaçada.

+ Leia mais: Jonathan é símbolo de experiência na Libertadores

As penas foram determinadas pela 1ª Comissão Disciplinar do TJD-PR nesta segunda (25). Vale lembrar, no entanto, que o Furacão tem tempo hábil para recorrer da decisão. Por outro lado, segundo informou o jornal Gazeta do Povo, a procuradoria do Tribunal vai recorrer da decisão, pedindo que Sallim também seja multado e que a multa do Furacão seja dobrada.

+ Confirmado: Furacão divulga a lista de inscritos na Libertadores

No entendimento da comissão, o Furacão desrespeitou a disponibilização de 10% da carga de ingresso  pra torcida do Coxa, não ofertou cinco pontos físicos pra aquisição dos bilhetes, não reservou setor exclusivos à torcida alviverde no estádio e vetou a entrada dos torcedores adversários com as camisas e as cores do próprio clube.

+ APP da Tribuna: As notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!