O empate diante da Chapecoense em 1×1, na noite de domingo (29), na Arena da Baixada, foi ruim pelo que o Athletico produziu durante os 90 minutos, mas teve um ponto positivo. Depois de um ano e quatro meses, o time principal do Furacão voltou a marcar um gol de falta. O meia-atacante Nikão foi o responsável por balançar as redes e que ainda garantiu a igualdade no placar diante do último colocado do Campeonato Brasileiro.

A última vez que isso tinha acontecido foi em maio de 2018, no duelo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, diante do Cruzeiro. O lateral-esquerdo Thiago Carleto, atualmente no Ceará, abriu o placar na Arena da Baixada, mas o Furacão acabou tomando a virada da Raposa e perdeu por 2×1. A equipe era comandada pelo técnico Fernando Diniz na oportunidade.

Não demorou muito para Diniz ser demitido e Tiago Nunes assumir o comando do Rubro-Negro. Mas, desde então, apesar das conquistas recentes da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil, o Athletico não havia marcado mais nenhum gol de falta. “Foi bacana um gol de falta. Vocês me cobravam. Fazia tempo. E agradecer ao Nikão pelo gol que ele fez para a gente”, afirmou o treinador.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Mas se o time principal sofreu com a escassez de gols de falta, os aspirantes foram bem nesse quesito na disputa do Campeonato Paranaense. No Estadual, quando garantiu o bicampeonato neste ano, o Rubro-Negro marcou dois gols dessa forma, com os meias Marquinho e Matheus Rossetto.

Leia mais:

+ Tiago Nunes quer Furacão com a pontaria mais calibrada