O Athletico vive um contraste televiso neste início de Brasileirão. De clube com mais transmissões na TV aberta no campeonato em 2019, o Furacão sofreu um “apagão” nos jogos programados para as primeiras 11 rodadas: nenhuma partida da equipe foi ou será exibida na Globo.

No mesmo período do ano passado, o Rubro-Negro teve seis duelos mostrados ao vivo pela emissora. Dado que afeta diretamente os cofres do clube, já que cada time recebe cerca de R$ 1,2 milhão por partida transmitida – receita que compõe a fatia de 30% do bolo total dos direitos de transmissão. Ou seja, se o Athletico faturou R$ 7,2 milhões no início do Brasileirão passado, até agora não recebeu nada em 2020.

A ausência, claro, gerou reclamação do presidente Mario Celso Petraglia no Twitter – ele citou o apagão contra o São Paulo, na última quarta-feira (26).

As partidas contra Fortaleza, Palmeiras e Fluminense também não tiveram transmissão para o Brasil. Já o duelo contra o Goiás foi mostrado na plataforma própria do clube, o Furacão Play, com um mandado de segurança na Justiça.

Athletico faturou alto com TV aberta em 2019

Em 2019, o Athletico faturou aproximadamente R$ 21,6 milhões brutos com 18 jogos mostrados na TV aberta ou internet pela Globo. Para efeito de comparação, em 2018, quando ainda vigorava o modelo antigo de divisão, sem distribuição de receita ligado ao número de exibições, o Furacão teve somente seis duelos.

O boom de transmissões do ano passado tem relação, em parte, com a assinatura tardia de contrato. O clube foi o penúltimo a fechar com a Globo e conseguiu mais destaque na programação, além do ótimo momento dentro campo, por causa do sucesso na negociação, sem venda do pay-per-view (PPV), o que obrigou o canal a colocá-lo em TV aberta.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Neste ano, a emissora carioca mudou de estratégia e não mostrará o time paranaense nas primeiras rodadas da Série A, situação semelhante somente à Red Bull Bragantino e Goiás.

Procurada pela reportagem, a emissora justificou a situação em nota enviada pelo departamento de comunicação.

“A Globo define suas transmissões de acordo com uma estratégia de programação que leva em conta o desempenho esportivo das equipes e o interesse da partida para a maior parte do público, sempre respeitando os contratos firmados com os clubes. Como o número de jogos por rodada na TV aberta é limitado, nem todos os clubes têm previstas exibições nessa plataforma nas 10 primeiras das 38 rodadas do Campeonato Brasileiro. E este não é o caso apenas do Athletico-PR. Como a Globo não tem contrato com o Athletico-PR para transmissão de jogos do clube em TV por assinatura ou PPV, fica impedida de exibir as partidas citadas em outras plataformas”.

Athletico trava batalha jurídica com a Globo em meio à MP 984

Internamente, o Athletico vê a ausência na TV aberta como uma represália da Globo. Um dos motivos é continuar fora do PPV e almejar fazer suas transmissões próprias utilizando-se da Medida Provisória 984, editada em junho pelo presidente Jair Bolsonaro.

Com validade até meados de outubro, a “MP do Mandante” mudou a lógica dos direitos de transmissão e passou a considerar o mandante de um evento esportivo como o responsável por decidir sobre a transmissão do mesmo. O assunto, no entanto, gerou muita discussão jurídica e pouca segurança para quem, como o Furacão, tentava utilizar a medida.

+ Atletiba muda de data e vai passar na TV

O clube conseguiu realizar apenas a transmissão contra o Goiás, pela segunda rodada, na sua plataforma de streaming. E isso, ainda por cima, com um mandado de segurança dado pela Justiça minutos antes do apito inicial.

Atualmente, a Globo tem decisão favorável na Justiça para impedir que o Rubro-Negro faça suas próprias exibições pagas. A emissora também teve sucesso em uma ação contra a Turner, dona do canal de TV fechada TNT, que tem acordo com oito clubes do Brasileirão.

A TNT chegou a sinalizar a utilização da MP, mas teve de voltar atrás assim que a Justiça decidiu que contratos anteriores não poderiam ser afetados pela nova lei.

Enquanto espera que a MP seja votada e aprovada no Congresso, o Athletico ainda estuda alguma medida para continuar utilizando o Furacão Play. A próxima chance é na quarta-feira (2), contra o Bragantino, na Arena da Baixada.

+ Mais do Furacão:

+ Catadão do Athletico: Os investimentos do Furacão em 2020
+ Após derrota, Dorival alcança marca de Fernando Diniz no Athletico
+ Dorival lamenta desfalques e pede tempo pra Athletico recuperar equilíbrio


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?