O lateral-esquerdo Abner Vinicius, de 19 anos, chegou ao Athletico em julho de 2019 como a maior contratação da história do clube. Sem negociação, o Furacão simplesmente pagou a multa rescisória de R$ 10 milhões e tirou o jogador da Ponte Preta.

Até aquele momento, o defensor havia disputado apenas 13 partidas em menos de seis meses como profissional. Entre virar titular da Macaca e impressionar com atuações consistentes na Série B, o jovem chamou a atenção – e não só do Rubro-Negro. Cedo demais?

No Athletico, o camisa 16 fez oito jogos na temporada passada, seis deles como titular, mas não conseguiu deslanchar. Em 2020, jogou somente 45 minutos pelo time principal, na derrota para o Flamengo por 3×0 pela Supercopa do Brasil. Em três partidas com os aspirantes, também foi discreto.

O que falta para o lateral de R$ 10 milhões explodir? Quem responde é o técnico Jorginho, responsável por lançar o jogador na Ponte.

“Sinceramente, para mim é uma grande surpresa a coisa não ter acontecido desde o início para ele aí no Athletico”, admitiu o treinador, atualmente sem clube após subir o Coritiba para a Série A no ano passado.

“Tenho certeza de que a qualquer momento o Abner vai explodir. Ele tem uma cabeça ótima, é focado, muito profissional. É um jovem que vai explodir no futebol brasileiro. O nível dele é altíssimo como o do (Renan) Lodi”, comparou.

+ Mafuz: Por lei, os clubes têm razão em diminuir salário. O problema é que muitos não cumprem outra lei

Entre as principais características de Abner, Jorginho cita o conjunto: velocidade, capacidade de marcação, posicionamento ofensivo e defensivo e um passe capaz de quebrar linhas. O mais importante, no entanto, é ganhar minutagem em campo.

“É um jogador muito qualificado, mas que precisa jogar. Quando foi para o Athletico tinham outros clubes querendo ele. E nesses clubes provavelmente o Abner teria mais oportunidades. Tenho certeza que quando ele tiver uma sequência de jogos, vai realmente tomar a posição”, completou o técnico.

Saiu “barato”

Na Ponte Preta, o sentimento é de que o Furacão pagou barato pelo lateral. Quando o depósito da multa aconteceu, o time de Campinas negociava com equipes da França, Itália e Portugal por valores bem superiores aos R$ 10 milhões recebidos como compensação.

Além da questão financeira, a saída do jogador ainda impactou tecnicamente na Macaca, que perdeu uma de suas principais peças. No fim do ano, o time permaneceu na Série B.

“Dentro campo não precisa nem falar, ele é craque. Não é porque o Abner é como um irmão para mim, falo com sinceridade. É muito fácil jogar ao lado dele”, elogiou o antigo parceiro de alojamento na Ponte, o meia Vinícius Zanocelo.

+ Podcast De Letra: Petraglia é o maior personagem da história do Athletico?

Dentro do Athletico, a confiança no lateral-esquerdo segue alta. O clube tem consciência de que é necessário paciência para terminar sua lapidação. Atualmente, Abner está atrás de Márcio Azevedo na hierarquia da posição com o técnico Dorival Júnior. Mas não duvide se o jovem conquistar a vaga quando a temporada for retomada.

“Ele é um garoto muito promissor, de qualidade, que tem condição para poder ocupar espaço no time. Lógico que demanda tempo, paciência e trabalho. Alguns jogadores demoram um pouco para maturar. Ele ainda tem 19 anos. Não tenho dúvida que não vai demorar muito. É questão de tempo”, confidenciou à reportagem um membro da comissão técnica do Athletico.

+ Mais do Furacão:

+ Athletico 96 anos: o aniversário através dos tempos
+ Athletico dá férias coletivas a funcionários e comissão técnica
+ Felipe Vizeu explica que não teve culpa por não acertar com o Athletico
+ Atletas rejeitam redução de salário, mas sugerem férias coletivas