Na semana passada, o Barcelona anunciou oficialmente a contratação do goleiro Neto, revelado pelo Athletico e que estava no Valência, por 26 milhões de euros (R$ 114 milhões na cotação atual). O acordo ainda prevê mais 9 milhões de euros (R$ 39 milhões) em complementos por metas.

Diante dos valores da transação, a primeira pergunta que vem à cabeça do torcedor atleticano é: quanto o Furacão vai receber por ser o clube formador? A reposta é: nada.

+ Leia também: Furacão deixa a desejar e escancara falhas em amistoso

A FIFA possui uma regra chamada ‘mecanismo de solidariedade‘. O sistema existe para que os clubes formadores também sejam recompensados quando atletas são negociados. Para cada ano em que o jogador esteve no primeiro clube da carreira, uma porcentagem de até 5% é paga ao formador. Ocorre até o 23º aniversário do atleta.

Porém, a regra só é aplicada quando o jogador se transfere de clubes de países diferentes. Ou seja, negócios entre times da mesma federação não entram na jogada, como foi feito entre os espanhóis. Por exemplo, se uma equipe de fora da Espanha tivesse comprado Neto, então o Rubro-Negro teria direito de receber como clube formador.

+ Mais na Tribuna: Tiago Nunes confirma que Athletico está de olho em dois jogadores

Entretanto, a regra que não contempla a equipe formadora sobre transferências dentro de um mesmo país está com os dias contados. A FIFA já anunciou que vai reformular o modelo de mecanismo de solidariedade e indenização por formação. Porém, as mudanças ainda não foram impostas pela entidade.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão

“A regra ainda não entrou em vigor. Provavelmente vai começar a valer para transferências a partir de julho, porém ainda não há uma data definida”, explica o advogado Marcos Motta, brasileiro que participou do congresso realizado pela FIFA com especialistas para formulação de novos procedimentos de transferências internacionais.

No caso de Neto, se a regra já fosse válida, o Furacão teria direito a 3% do valor total da transferência porque o arqueiro ficou no CT do Caju dos 14 aos 20 anos. Isso renderia aproximadamente R$ 3,5 milhões.