A comemoração do aniversário de 20 anos da reinauguração da Arena da Baixada não foi como se esperava. Em uma jornada de pouca inspiração ofensiva e com direito a penalidade perdida pelo atacante Marco Ruben, o Athletico perdeu o amistoso para o Cerro Porteño por 2×0, na tarde deste sábado (29), em pleno caldeirão e provou que tem muita coisa a melhorar para a retomada das competições que terá na sequência da temporada. O time rubro-negro, antes do duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil contra o Flamengo, no Joaquim Américo, dia 10 de julho, fará um jogo-treino terça-feira que vem, diante do Londrina, também em Curitiba.

Música ao vivo nos corredores, exposição com fotos e uma homenagem especial para o agora ex-jogador Paulo André. Assim foi o clima pré-jogo na Arena da Baixada para comemorar os 20 anos da reinauguração do caldeirão. Com a bola rolando, o Cerro Porteño deixou qualquer clima de festividade de lado e foi logo marcando. Aos três minutos, Federico Carrizo cobrou falta, a defesa do Athletico falhou e Amorebieta, livre de marcação, cabeceou no canto e não deu chances para o goleiro Santos.

+ Leia mais: Athletico confirma a contratação do zagueiro Pedro Henrique

O Furacão precisou tomar o gol para acordar no jogo. O time rubro-negro passou a pressionar o Cerro Porteño a todo instante em busca do empate. O atacante Rony passou a aparecer bem e como a principal alternativa ofensiva do Furacão. O camisa 7, logo depois do gol, arriscou de fora e a bola passou perto. Aos nove, Rony cobrou falta, Robson Bambu desviou e Marcelo Cirino, no segundo pau, mandou por cima.

O Cerro Porteño, apesar de ser pressionado, fez um bom primeiro tempo taticamente. O time paraguaio marcava bem e dava poucos espaços para o Furacão. Mais do que isso, era também perigoso nos contra-ataques. Aos 11, Federico Carrizo recebeu entre os zagueiros atleticanos, tentou por cobertura, mas Santos defendeu.

Rony tenta o arremate de fora da área. Foto: Albari Rosa.
Rony tenta o arremate de fora da área. Foto: Albari Rosa.

Com o domínio do jogo, o empate do Athletico parecia ser questão de tempo. Aos 27, Rony fez boa jogada, chutou forte e o goleiro Carrizo fez boa defesa. A melhor chance do Furacão veio um minuto mais tarde. Bruno Guimarães deixou Rony na cara do gol, mas o camisa 7, dentro da área, errou o algo e jogou para fora grande oportunidade para igualar o marcador.

A pressão do Athletico em busca do primeiro gol acontecia por todos os lados. Quando não era Rony, pela esquerda, o time atleticano conseguia pressionar nas investidas de Marcelo Cirino, pelo outro lado. Aos 30, Jonathan recebeu do camisa 10, bateu cruzado e o goleiro Carrizo salvou mais uma. No final do primeiro tempo, o Furacão diminuiu o ritmo e facilitou a vida da defesa do Cerro Porteño para garantir a vitória parcial nos primeiros 45 minutos.

+ Mais na Tribuna: Athletico fará jogo-treino com o Londrina

As vaias ao final do primeiro tempo fizeram o Athletico voltar diferente do intervalo. O empate poderia ter saído aos três minutos. Marcelo Cirino recebeu na área e foi derrubado por Candia. Na cobrança do pênalti, Marco Ruben, que pouco tinha feito em campo, bateu no canto e o goleiro Juan Carrizo fez a defesa e evitou a igualdade do Furacão. Um minuto mais tarde, Marcelo Cirino apareceu entre os defensores de novo e, na cara do gol, obrigou o goleiro paraguaio a fazer outra grande intervenção.

O Athletico, mais nervoso e impaciente em campo, seguiu criando as melhores chances. Aos 13, Rony recebeu de Robson Bambu e, dentro da área, chutou para a defesa do goleiro Juan Carrizo. No rebote, Marcelo Cirino isolou. A partir dos 20 minutos, o técnico Tiago Nunes mexeu por atacado. Foram seis alterações. A maioria do meio para frente. O Furacão, então, perdeu um pouco de força ofensiva.

Criançada marcou presença na Arena. Foto: Albari Rosa.
Criançada marcou presença na Arena. Foto: Albari Rosa.

Melhor, então, para o Cerro Porteño. O time paraguaio, que até então limitava-se em marcar, achou o segundo gol aos 24 minutos e encaminhou a vitória. Robson Bambu errou o tempo de bola e derrubou Churín dentro da área. Larrivey mostrou como se faz, bateu sem chances para o goleiro Caio e ampliou a vantagem para o time paraguaio.

Com a dificuldade de conseguir reverter o placar, o técnico Tiago Nunes fez mais mudanças. Sobraram apenas os zagueiros Léo Pereira e Robson Bambu dos jogadores que começaram a partida. Mesmo assim, o Athletico seguiu criando boas chances. Aos 34, Tomás Andrade arriscou da entrada da área e o goleiro Juan Carrizo fez mais uma boa defesa.

+ Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

Na reta final do jogo, o Athletico seguiu pressionando. Mais na base da transpiração do que da inspiração, o Furacão buscou descontar a vantagem dos paraguaios, que se defendia bem. Mas apesar das tentativas e da insistência, sobretudo nas bolas aéreas, o time atleticano não teve sucesso e amargou a derrota em plena Arena da Baixada.

Ficha técnica

AMISTOSO

Athletico 0x2 Cerro Porteño

Athletico
Santos (Caio); Jonathan (Erick), Léo Pereira (Rocha), Robson Bambu (Pedro Henrique) e Márcio Azevedo (Abner); Wellington (Léo Cittadini), Bruno Guimarães (Lucho González) e Bruno Nazário (Tomás Andrade); Marcelo Cirino (Braian Romero), Rony (Nikão) e Marco Ruben (Thonny Anderson).
Técnico: Tiago Nunes

Cerro Porteño
Juan Carrizo; Espínola, Cáceres (Saiz), Amorebieta e Candia; Federico Carrizo, Marcelo Palau, Juan Aguilar (Vilasanti) e Óscar Ruiz (Novick); Larrivey (Benítez) e Haedo Valdez (Churín).
Técnico: Miguel Ángel Russo

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Leonardo Ferreira
Assistentes: Bruno Boschilla e André Luiz Severo
Gols: Amorebieta, 3 do 1º; Larrivey, 24 do 2º
Cartões amarelos: Candia, Churín, Marcelo Palau (CER)
Público total: 8.524
Renda: R$ 169.200,00