O Athletico vai começar a cumprir a partir de 10 de outubro a punição aplicada pela Fifa pela contratação irregular do atacante Rony, quando ele atuava no Albirex, do Japão.

Segundo informação do blog da Nadja, confirmada pela Tribuna, a CBF já notificou o Athletico. Com isso, o Furacão não poderá contratar atletas nas próximas duas janelas de transferências, ou seja, até julho no que vem. A punição vale para mercado nacional e internacional.

No dia primeiro de outubro, o Albirex notificou a Fifa pedindo que o Athletico perca pontos por contratar três atletas após o fechamento da última janela de transferências do exterior, dia 10 de agosto.

No período, o Rubro-Negro contratou o meia Jorginho e os atacantes Fabinho e Renato Kayzer. O Athletico contou com a anuência da CBF para completar os registros dos atletas em questão. O clube ainda recorreu à Corte Arbitral do Esporte (CAS) por discordar da decisão da Fifa.

Procurado, o Albirex aguarda um posicionamento da Fifa sobre a regularidade das datas das janelas

>> Tabela do Brasileirão 2020: veja a classificação e todos os jogos

Dúvida sobre a aplicação da punição do Athletico entre CBF e Fifa

Logo que a punição ao Athletico foi divulgada em julho de 2020, a CBF questionou a Fifa quanto à abrangência da sanção. O motivo da dúvida? A decisão da Câmara de Resoluções de Litígio fala em suspensão por duas janelas de transferência consecutivas, mas a entidade máxima do futebol no Brasil não adota o termo “janela de transferências” como padrão para registros internos.

Dentro do país, os clubes podem registrar atletas nos prazos de inscrição dos campeonatos. Ou seja, o Athletico seguiu liberado pela CBF para contratar mesmo depois do término da janela internacional, que vigorou de 20 de julho até 10 de agosto. Antes da pandemia, o período programado seria durante todo o mês de julho.

Teoricamente, a punição atleticana começaria a valer na reabertura da próxima janela internacional, entre 9 de outubro e 9 de novembro. Porém, no entendimento do advogado do Albirex, o Furacão já não poderia ter registrado novos jogadores nacionalmente após o fechamento do prazo em 10 de agosto.

Entenda o “Caso Rony”

Em 13 de julho de 2020, o Athletico foi banido pela Fifa de registrar atletas por duas janelas consecutivas (nacionais e internacionais) por causa da contratação do atacante Rony, atualmente no Palmeiras.

A Câmara de Resoluções de Litígio da Fifa também condenou o jogador a pagar multa de US$ 1,3 milhão, aproximadamente R$ 7 milhões, montante que a equipe paranaense responde solidariamente, além de impor quatro meses de suspensão. Tanto o clube como o atacante recorreram à Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Rony chegou ao CT do Caju em julho de 2018. Dois meses antes, o atacante entrou com ação na Fifa e conseguiu se desvincular do Albirex Niigata, ficando livre para assinar com outro time.

O time japonês, no entanto, contestou a decisão e conseguiu parecer positivo dois anos depois, justificando que o atacante havia assinado um contrato de três anos. Inicialmente, ele chegou à J-League por empréstimo de um ano do Cruzeiro.

No Furacão, Rony se tornou titular absoluto e participou das conquistas da Copa Sul-Americana e Copa do Brasil. Em fevereiro de 2020, foi negociado por R$ 28 milhões com o Palmeiras, em uma novela que durou mais de um mês.

+ Mais do Athletico:

+ Athletico x Ceará: onde assistir, escalações e notícias
+ CBF define datas dos jogos entre Athletico e Flamengo pela Copa do Brasil
+ Jandrei tem a missão de acabar com “histórico ruim” de substitutos de Santos


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?