Quase 45 dias depois da conquista inédita da Copa do Brasil, o Athletico estará de volta ao Beira-Rio, em Porto Alegre, para enfrentar o Internacional pelo Campeonato Brasileiro. O Furacão entrará em campo nesta quinta-feira (31), às 21h30, com a pressão somente de fazer jus ao seu título, mas não nem de longe com a tensão vista na finalíssima da competição nacional. Qualquer clima de revanche está descartado pelo lado atleticano e a partida contra o Colorado servirá para reviver toda a atmosfera de uma das noites mais importantes da história do clube.

A maioria dos protagonistas do título rubro-negro conquistado depois de duas vitórias sobre o Inter deve estar em campo amanhã. Personagens importantes que vão pisar novamente em um dos principais palcos do futebol brasileiro e poderão relembrar aquele 18 de setembro.

Um deles é o meia Léo Cittadini. O jogador, na reta final da Copa do Brasil, foi a grande surpresa do técnico Tiago Nunes e não decepcionou. Foi destaque na conquista da vaga na decisão diante do Grêmio e ganhou de vez a posição entre os titulares. Contra o Internacional, teve mais uma grande atuação e, ainda no primeiro tempo, abriu o caminho da vitória atleticana na partida de volta por 2×1.

“Vai ser um jogo muito especial. Tive a oportunidade de atuar na final. Foi o gol mais importante da minha carreira, sem dúvidas. O título mais importante também. Ficou marcado o momento que eu conquistei a chance naquele jogo contra o Grêmio e, depois, joguei o primeiro jogo da final e graças a Deus fiz o gol lá. Vai ser muito especial voltar em um estádio que fui muito feliz e espero também aproveitar da melhor maneira”, afirmou o camisa 18 do Furacão.

Léo Cittadini abriu o placar para o Athletico no Beira-Rio naquela decisão. Foto: Albari Rosa
Léo Cittadini abriu o placar para o Athletico no Beira-Rio naquela decisão. Foto: Albari Rosa

Se o Atlhetico, por um lado, vai entrar de sangue doce e sem pressão, por outro o Internacional terá a chance da revanche. Além disso, o time gaúcho está na quinta posição, lutando por uma vaga na Libertadores. Algo que o Furacão já garantiu com a conquista do título da Copa do Brasil.

“É difícil falar sobre o que eles pensam. Eles têm os objetivos deles, também estão brigado na parte de cima para conquistar a vaga na Libertadores. Acredito que vão tratar como um jogo normal. A imprensa e a torcida vão criar alguma coisa porque a final foi recente. Nós vamos encarar como um jogo normal do Brasileiro, onde temos que entrar, nos dedicar ao máximo, mas sem rivalidade e sem revanche”, garantiu Léo Cittadini.

Marcelo Cirino fez jogada inesquecível no Beira-Rio. Foto: Albari Rosa
Marcelo Cirino fez jogada inesquecível no Beira-Rio. Foto: Albari Rosa

Mudanças

O duelo deve ter ingredientes bem diferentes. O Beira-Rio, sem dúvidas, não estará lotado como naquela final. Não haverá também a mesma invasão de torcedores do Rubro-Negro. Dentro de campo, o Athletico estará reforçado e poderá mandar a campo o zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho, que não participaram dos grandes momentos do clube em 2019 por conta da suspensão por doping.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Os dois jogadores estarão em campo, mas não quer dizer que não foram importante na conquista inédita em Porto Alegre. Tiago Nunes enalteceu importância dos dois para que o Furacão chegasse ao título da Copa do Brasil.

“A nossa conquista esse ano da Copa do Brasil passou muito pelo Thiago e pelo Camacho. O momento que eles viveram de nem treinarem conosco em muitas vezes, mas estarem presentes de outra maneira foi fundamental para manter o grupo mobilizado e servir de inspiração para os demais. Quando eles foram liberados para treinar conosco, mesmo sem uma previsão curta de jogar, eles treinavam com uma intensidade muito alta e davam muito trabalho para a equipe principal‘, finalizou o treinador.

+ Mais do Furacão:

+ Com contrato acabando, Marco Ruben quer ficar no Athletico
+ Os Fanáticos é condenada a pagar multa após invasão