O Athletico terá uma missão complicada diante do Flamengo, nesta quarta-feira (17), às 21h30, no Maracanã, pelo confronto de volta das quartas de final da Copa do Brasil. O time precisa ganhar o jogo para avançar para a próxima fase no tempo normal e, para isso, terá que superar o seu jejum como visitante no ano e também o ímpeto do adversário.

No último domingo (14), a equipe carioca goleou o Goiás por 6×1, com um futebol altamente intenso e indo pra cima dos goianos o tempo todo, inclusive quando o placar já estava construído. A exibição contagiou os flamenguistas e a tendência é que o técnico Jorge Jesus repita a dose, atuando no 4-1-3-2.

+ Leia também: Furacão vai embolsar grana alta se avançar pra semifinal

A única mudança na escalação deve ser no ataque. Lesionado, Bruno Henrique está vetado e dará lugar a Vitinho. Embora a qualidade e, principalmente, o momento sejam bem diferentes, o estilo de jogo, que é a velocidade, é o mesmo. Ou seja, o Furacão terá que suportar uma pressão desde o início. Ao contrário do que aconteceu na Arena.

Na primeira partida, foi o Rubro-Negro quem foi pra cima e acuou o Flamengo. Agora, o time atleticano é quem terá que se preocupar com a marcação, explorando os contra-ataques. O esquema de jogo não deve mudar muito em relação ao confronto na Baixada, quando o adversário também com uma postura de atacar, mas se viu preso lá atrás pela forma de o Athletico jogar.

+ Mais na Tribuna: Marcelo Cirino completa 200 jogos pelo Athletico

No Maracanã, o clube carioca vai se expor ainda mais, com apenas um volante, e aí entra a velocidade atleticana, pra recuperar a bola e ir pra cima. A tendência é Jonathan e Márcio Azevedo ajudarem mais na marcação e não subirem tanto ao ataque, cabendo a Marcelo Cirino e Rony serem os pontas e abusarem da velocidade, municiando Marco Ruben lá na frente.

Além disso, Nikão e Bruno Guimarães serão as opções pelo meio, tendo cinco homens lá na frente quando tiver a posse de bola, pegando uma defesa tentando se recompor. Contra o Goiás, o Flamengo atuou com a marcação alta, com os zagueiros quase no meio-campo para marcar. Se por um lado isso deixa o adversário mais longe do gol, ao mesmo tempo uma falha pode ser fatal. Foi assim que saiu o gol dos goianos, aproveitando um erro de Rodrigo Caio.

+ Viu essa? Japoneses cobram quase R$ 40 milhões de Athletico e Rony

A estratégia será exatamente a mesma da semana passada, com a grande diferença sendo a pressão no estádio, que pode mudar de lado dependendo do que acontecer no gramado. Se o Furacão conseguir segurar o sufoco e rapidamente partir pra cima, aproveitando os espaços que terá, pode transformar o apoio em cobrança, invertendo os papéis na arquibancada. Algo que pode ser uma grande arma pra buscar a classificação.

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre nossa regiãofutebolentretenimento horóscopo, além de blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!