Pouco mais de um ano atrás, em 12 de dezembro de 2018, o Athletico conquistava o título da Copa Sul-Americana após empatar em 1×1 com o Junior Barranquilla, na Arena da Baixada, e vencer nas cobranças de pênaltis. Porém, a história poderia ter sido diferente se o meia Jarlan Barrera não tivesse desperdiçado uma penalidade com a bola rolando.

Aos seis minutos do segundo tempo da prorrogação, o jogador isolou uma cobrança de pênalti, que colocaria os colombianos em vantagem, com apenas mais nove minutos de jogo. Mesmo depois de tanto tempo, ele não esquece desse momento traumático.

“Pensam que ter perdido o pênalti não importa para mim e nem sabem que eu sempre sonho com essa partida. Era possibilidade de ter ganho uma copa internacional, sempre será doloroso para mim”, disse Barrera, em entrevista ao “Win Sports”.

Até hoje Barrera lamenta o lance, que podia ter mudado a história da final. Foto: Albari Rosa/Arquivo

Atualmente, o meia defende o Atlético Nacional, também da Colômbia, e não escondeu que tem o desejo de ter uma revanche, sem deixar claro se contra o próprio Furacão e até mesmo vestindo a camisa do Junior Barranquilla, clube que ele confessou ser o do coração.

“São coisas sobre futebol que eu aprendiri e espero que em algum momento possa ter uma revanche”, completou.

Naquela noite na Baixada, logo depois do pênalti perdido, Barrera foi substituído e ficou fora das alternadas, quando Fuentes e Téo Gutiérrez também erraram.

Curiosamente, na última terça-feira (2) o Athletico lembrou desse pênalti perdido em suas redes sociais e postou o lance.

+ Mais do Furacão:

+ Athletico 3×0 Boca Juniors: Um título sem troféu
+ Reforço do Athletico vira pivô de briga na Fifa entre Atlético Nacional e Santos
+ Conmebol anuncia faturamento recorde e ajuda contra o coronavírus