O Athletico saiu na frente, mas acabou sofrendo o empate diante do Vasco no jogo válido pelo início do returno do Campeonato Brasileiro. Neste domingo (22), no Rio de Janeiro, o Furacão dominava a partida, mas viu o adversário igualar o placar em 1×1 depois de um pênalti polêmico assinalado com a ajuda do VAR. Já são três jogos sem vitórias do Furacão que vai se empenhar nas próximas rodadas para reagir na Série A. Com 27 pontos até o momento, a equipe quer terminar o ano entre os primeiros da tabela, mesmo que já esteja com vaga garantida na Copa Libertadores de 2020.

Com todos os demais compromissos da temporada finalizados, o Rubro-Negro agora volta suas atenções exclusivamente no Brasileirão. O objetivo é encerrar a competição em uma posição melhor do que até aqui conquistou, uma vez que o time foi discreto até aqui na competição. Por conta dos diversos compromissos que o time teve desde o início do ano – como Copa Libertadores, Recopa Sul-Americana, Copa do Brasil e outros – o Furacão entrou em campo em diversas oportunidades da Série A com um time alternativo, já que priorizava as demais competições. Porém, o foco total neste momento é a reação. O técnico Tiago Nunes quer um time competitivo até o final deste ano, mesmo com a vaga garantida na próxima edição da Libertadores.

+ Veja como foi o jogo entre Vasco e Athletico!

Sem quatro jogadores que começara como titulares na final da Copa do Brasil, o Athletico entrou em campo diante do Vasco com a estratégia de manter seu jogo já característico, procurando apostar na velocidade para abrir espaços na defesa adversária. O primeiro tempo em São Januário foi marcado por um jogo equilibrado, com o Furacão conseguindo pressionar o Vasco, porém também permitindo que os donos da casa criassem oportunidades.

Aos 13 minutos, em cobrança de escanteio de Danilo Barcelos a bola vai para Osvaldo Henriquez cabecear. A finalização foi firme, mas passou à esquerda do gol de Santos. No mesmo lance, Leandro Castán foi derrubado na área por Bruno Guimarães e o time vascaíno reclamou pedindo pênalti, mas Anderson Daronco mandou seguir. Aos 29 minutos, Rossi subiu pela direita e chutou forte, mas Santos conseguiu a defesa e ficou com a bola.

Aos 43, o Furacão teve sua melhor oportunidade na etapa inicial. Rony recebeu uma bola enfiada diretamente do meio de campo. Ele dominou pela direita, avançou e chutou em cima do goleiro Fernando Miguel, que conseguiu fechar o ângulo. Porém, o assistente levantou a bandeira e assinalou impedimento.
Na segunda etapa, o Athletico entrou decidido a resolver o confronto. Logo aos três minutos, Abner Vinicius cobrou falta na área, Madson se adiantou e chegou para cabecear antes que o goleiro Fernando Miguel pudesse afastar a bola. O Furacão abriu o placar.

+ Confira a tabela de jogos e a classificação do Brasileirão!

Mesmo à frente no placar, o Furacão seguiu pra cima da equipe vascaína e chegou a criar mais chances, a maioria delas com a participação direta de Rony. O jogo parecia controlado para os visitantes, porém, em cobrança de falta para o Vasco, o VAR alertou a arbitragem sobre um lance a ser analisado. Anderson Daronco viu as imagens e concluiu que Rony, na barreira, desviou a bola com a mão e assinalou pênalti. Os atleticanos reclamaram bastante do lance.

Aos 23 minutos, Danilo Barcelos, que inclusive tinha feito a cobrança de falta, foi para a marca da cal e chutou firme do lado direito de Santos. O goleiro atleticano chegou a encostar na bola, mas pela força do chute as redes balançaram e o Vasco igualou o placar. Santos precisou trabalhar para evitar o prejuízo e aos 35 fez grande defesa após um chute de fora da área de Talles Magno. Nos minutos finais, o time da casa chegou a marcar novamente. Porém, pelo VAR, o árbitro anulou o gol por conta de uma falta em cima do arqueiro atleticano.

O próximo compromisso do Rubro-Negro pelo Brasileiro será na quinta-feira (26), na Arena da Baixada, diante do Fortaleza. A partida começa às 21h30.

Ficha técnica

BRASILEIRÃO
2º turno – 20ª rodada

VASCO 1×1 ATHLETICO

Vasco
Fernando Miguel; Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castán e Danilo Barcelos; Richard, Raul e Marcos Júnior (Andrey); Talles Magno, Rossi (Marrony) e Ribamar (Clayton).
Técnico: Vanderlei Luxemburo

Athletico
Santos; Madson, Pedro Henrique (Lucas Halter), Léo Pereira e Abner Vinícius; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Everton Felipe); Braian Romero; Rony e Marco Ruben (Thonny Anderson).
Técnico: Tiago Nunes

Local: São Januário (Rio de Janeiro-RJ)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Gols: Danilo Barcelos, 23Madson 3 do 2ºT (CAP)
Cartões amarelos: Yago Pikachu, Richard, Oswaldo Henríquez (VAS); Léo Pereira, Wellington, Rony (CAP)