Cochabamba, Bolívia – Palco da vitória do Jorge Wilstermann por 3×2 diante do Athletico, na noite de quarta-feira (24), pela Libertadores, o Estádio Félix Capriles traz uma grande variedade de comida para os torcedores que costumam ir à principal praça esportiva de Cochabamba, na Bolívia. Desde sanduíches de diversos sabores, às tradicionais empanadas, o local atende todo o tipo de gosto e de preço dos torcedores do ‘Los Aviadores’.

O estádio não conta com uma praça de alimentação especifica, como tem na maioria das arenas brasileiras. Embaixo das arquibancadas, há apenas alguns quiosques que atendem o público. Neste duelo entre Jorge Wilstermann e Furacão, por ter sido realizado às 18h15 no horário local, o movimento de torcedores que procuraram guloseimas antes e durante a partida foi grande.

+ Leia também: Com início do Brasileirão, Furacão irá testar o elenco

A maioria desses quiosques conta com os tradicionais sanduíches bolivianos. Além do pão, o recheio pode ser variado e a porção é generosa e capaz de matar a fome da torcida. A escolha fica por conta do freguês. Os recheios disponíveis são carne, carne empanada, frango e até cordeiro, tradicional em solo boliviano.

Sanduíche é o prato preferido dos bolivianos nos estádios. Foto: Albari Rosa
Sanduíche é o prato preferido dos bolivianos nos estádios. Foto: Albari Rosa

Escolhido o tipo da carne, os acompanhamentos também dão água na boca. A maioria escolhe o tradicional ovo frito, que dá um toque de suculência ao pedido. Cebolas, tomates e os molhos picantes, que já são bem populares na Bolívia, complementam o lance do torcedor que vai ao Félix Capriles. O que mais agrada são os preços dos lanches. Eles variam de 8 bolivianos (R$ 4,61), 10 bolivianos (R$ 5,76) e podem chegar a 12 bolivianos (R$ 6,91). No Brasil, por exemplo, qualquer lanche desse tipo não custa menos do que R$ 10.

+ Mais na Tribuna: Brasileirão 2019 vai começar e promete muita emoção

Há também outras opções. A dona Mary Ugarte, torcedora do Jorge Wilstermann, vende suas deliciosas empanadas há mais de 30 anos nos eventos esportivos no local. Já conhecida, seus salgados fazem sucesso com os torcedores e eles custam apenas 5 bolivianos, ou seja, R$ 2,88.

Para beber, porém, não há muita opção. A tradicional cerveja gelada é proibida nos estádios da Bolívia. Assim, para quem quiser matar a sede as opções são água, refrigerante e um chá de pêssego. O último custa apenas 3 bolivianos, o que equivale a R$ 1,73.

+ Viu essa? Jogadores do Athletico discordam sobre dificuldades na altitude

Além dos quiosques, os vendedores ambulantes também circulam no estádio antes e durante os jogos trazendo outras opções para quem está acompanhando o Wilstermann. São vendidos salgadinhos, pipoca, castanha, pistache e até sorvete. Bebidas também são comercializadas pelos ambulantes.

Foi nesse ritmo, com a barriga cheia, que os torcedores bolivianos comemoraram a primeira vitória do clube na Libertadores. O time ainda tem remota chance de classificação às oitavas de final da competição internacional, mas precisará vencer o Deportes Tolima, no dia 8, novamente no Félix Capriles, e torcer para o Rubro-Negro na Bombonera.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!