Com sete jogos oficiais disputados até agora na temporada, chegou a vez de o Athletico poupar parte do seu grupo para o duelo diante da Chapecoense, neste domingo (5), às 11h, na Arena Condá, em Chapecó. Com uma média de uma partida a cada três dias até a parada para a Copa América, em junho, o técnico Tiago Nunes deve dar um refresco para os titulares. Tudo para garantir, na quinta-feira (8), contra o Boca Juniors, em Buenos Aires, o primeiro lugar do Grupo G da Libertadores.

A derrota para o Fortaleza por 2×1, quarta-feira (1), fora de casa, atrapalhou um pouco os planos do Furacão no Campeonato Brasileiro. Só que mesmo precisando somar pontos contra a Chape, o técnico Tiago Nunes ressaltou a importância da competição continental e vai avaliar com cuidado quais jogadores serão poupados na Arena Condá.

+ Leia também: Nikão cobra mais equilíbrio e atitude fora de casa

“A Libertadores é uma competição que temos um carinho à parte. Vamos buscar o máximo de rendimento possível fora de casa. Vamos descansar o grupo, ainda vamos reavaliar esta situação. Temos jogadores que não vêm em sequência, vamos avaliar quem são os atletas em melhores condições para equilibrarmos”, avisou o comandante atleticano.

Mesmo com poucos jogos oficiais disputados neste ano, já que optou novamente por usar sua equipe de aspirantes no Campeonato Paranaense, o Rubro-Negro tem sentido a sequência de jogos que começou na semana passada, quando perdeu para o Jorge Wilstermann, na Bolívia, por 3×2.

+ Mais na Tribuna: Athletico reencontra o Fortaleza, agora na Copa do Brasil

Somente no mês de maio, serão nada menos do que oito partidas. Algumas delas decisivas, já que, além de decidir o primeiro lugar do grupo na Libertadores, o Athletico terá duelos pelo Brasileirão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil e vai decidir o título da Recopa Sul-Americana contra o River Plate em duas partidas.

Tiago Nunes já adiantou que irá poupar algumas peças em Santa Catarina, mas ainda não deu pistas da provável formação do Furacão. Foto: Albari Rosa
Tiago Nunes já adiantou que irá poupar algumas peças em Santa Catarina, mas ainda não deu pistas da provável formação do Furacão. Foto: Albari Rosa

Mas o foco agora está no Boca. O time atleticano vai para Buenos Aires precisando de um empate para garantir a primeira posição e ter a vantagem de decidir em casa nas oitavas de final. Nikão destacou a importância de ter um grupo mais descansado no duelo na Bombonera.

“Sem dúvida a Libertadores é o principal campeonato que a gente está disputando. Temos uma pedreira contra o Boca Juniors. A gente sabe da história, da qualidade que eles têm e precisamos estar descansados, fazer um grande jogo e conquistar aquilo que a gente busca, que é a classificação em primeiro. Temos um jogo domingo às 11h e é muito pouco tempo de recuperação, uma viagem longa. Dentro do planejamento do Tiago (Nunes) e da sua comissão, nós jogadores estamos cientes. Não sei quem ele vai colocar ou tirar, mas espero que aqueles que entrarem possam fazer um grande jogo”, reforçou Nikão.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão

Mesmo com a sequência de jogos e com a utilização de um time misto contra a Chapecoense, o jogador enalteceu a importância de pontuar em Chapecó para seguir bem no Campeonato Brasileiro. “Nós atletas queremos sempre estar em campo, mas somos humanos e nosso corpo tem um limite. O clube tem pessoas competentes e sabem a hora de tirar e colocar. É ter cabeça boa. Estamos no começo da competição. Temos um jogo difícil contra a Chape e precisamos somar pontos”, concluiu ele.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!