Revelado para o mundo do futebol pelo Athletico, Fernandinho não nega a ligação estreita que mantém o clube, mesmo 15 anos após sua saída para o futebol europeu. De longe, acompanhou (e sofreu) nas conquistas recentes da Copa Sul-Americana e Copa do Brasil.

LEIA MAIS: Conheça os jogadores brasileiros que abraçaram campanha contra o racismo

Em seu último ano de contrato com o Manchester City, da Inglaterra, o volante – agora zagueiro no time do técnico Pep Guardiola – garante que o Furacão está entre as “primeiras opções” para o retorno ao futebol brasileiro. Em breve, quem sabe.

“Eu espero que isso não demore muito pra acontecer, né? Porque o tempo vai passando, nosso corpo vai mudando também, então fica meio complicado. Tenho mais um ano de contrato aqui, vou cumprir e depois a gente vai sentar e conversar para ver o que será do futuro”, disse o londrinense de 35 anos, em entrevista à Gazeta do Povo.

Fernandinho revelou que mantém contato frequente com a diretoria do Rubro-Negro, citando o presidente Mario Celso Petraglia e o diretor de futebol Paulo André, além de outros funcionários do clube. No entanto, garante que ainda não recebeu uma proposta oficial para voltar.

“A gente conversa muito sobre conceito de futebol. O Athletico hoje tem um conceito muito claro – bem diferente de muitos clubes do Brasil – muito similar ao que é jogado aqui no City e outros clubes da Europa”, diz, ciente que terá que se adaptar a outra realidade financeira quando retornar.

“Acho que a gente tem que ser realista e saber a realidade dos clubes brasileiros em relação aos clubes europeus. Obviamente que numa possível volta ao Brasil terei que considerar tudo isso também. Não só a mudança financeira, mas a mudança familiar, as crianças se adaptarem a um estilo de vida novo. Sem dúvida no momento certo vamos sentar e conversar e depois das conversas, tomar uma decisão”, reitera.

De qualquer forma, a história parece incompleta. A oportunidade se tornar ídolo da torcida, na visão dele, escorreu pelas mãos em 2004 e 2005, com dois marcantes vice-campeonatos. Será que ela terá continuação?

“Sem dúvida nenhuma ficou o gostinho de quero mais. Infelizmente, só conquistei um título, o Paranaense de 2005. A gente bateu na porta três vezes: Paranaense e Brasileiro, em 2004, e a Libertadores, em 2005. Sempre passou na cabeça por voltar um dia e conquistar esses títulos”, afirmou.

Na entrevista completa (vídeo acima), Fernandinho falou ainda sobre o retorno do futebol na Inglaterra na próxima semana, aborda o racismo no esporte e na sociedade, a relação de “pai e filho” com Yan Couto, o futuro de Bruno Guimarães e Renan Lodi e, por fim, comentou seu passado (e futuro?) na seleção brasileira.

+ Mais do Furacão

+ Meia que interessa ao Athletico não renova com o Santos e fica livre
+ Revelação do Novorizontino de 17 anos é a novidade no Athletico


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?