O Athletico precisou suar a camisa e contou com as cobranças de pênaltis para garantir o bicampeonato paranaense em cima do Toledo. Neste domingo (21), na Arena da Baixada, o Furacão teve dificuldades de resolver a partida no tempo normal, já que o Porco armou um jogo extremamente defensivo. Como o time do interior venceu por 1×0 a ida, o Rubro-Negro precisava ganhar por dois gols de diferença no tempo regulamentar. Porém, como fez 1×0, a decisão de quem ergueria o caneco ficou para a disputa nas penalidades. Por seis cobranças a cinco, o Athletico ficou com o título e consagrou o trabalho de sua equipe de aspirantes.

+ Leia também: Arena da Baixada voltou a ferver com mais um título do Furacão

As complicações que os donos da casa tiveram em “fechar a conta” no tempo normal foi um dos destaques apontados pelo elenco atleticano, que apesar de já saber que o Toledo viria com grande retranca, precisou de entrega e paciência em campo. O atacante Gabriel Poveda, um dos atletas que foram para as cobranças e converteram o chute em gol, ressaltou a tensão predominante da partida.

“Emoção demais, foi tudo muito tenso, mas deu tudo certo e fomos campeões. Sabíamos da proposta do Toledo de esperar a gente jogar, como se diz, que eles colocariam um ônibus na frente da área para segurar a gente, mas conseguimos e agora vamos comemorar muito”, disse o jogador de 20 anos.

+ Mais na Tribuna: Confira tudo sobre o jogão que deu a taça ao Athletico

Outro jovem atleta que foi fundamental para a conquista foi o lateral-direito Khellven, que bateu a penalidade decisiva que consagrou o time campeão. “Fiquei tranquilo. Durante a semana eu treino muito, estava confiante. Vim para fazer história no Athletico e o Campeonato Paranaense foi uma disputa muito importante para deixar o técnico Tiago Nunes com um ‘pulga atrás da orelha’”, destacou o atleta de 18 anos, falando sobre um possível espaço que possa ter na equipe principal.

O jogo marcou o encerramento da temporada do time de aspirantes do Rubro-Negro, comandado por Rafael Guanaes. Com isso, alguns jogadores que formavam a base do elenco devem se despedir do clube, casos de Bergson e Marquinho.

+ Baixe o pôstes do Athletico campeão

O atacante, que até 2018 fazia parte do elenco principal do Athletico, comentou que ainda que provavelmente saia do time, se sente feliz em ter deixado uma marca no Furacão.

“Esse título representa muito. Formamos uma equipe competitiva em três meses e chegamos à final, o que consolida o trabalho de todo o grupo. É meu segundo título em menos de quatro meses, estou feliz pelo que fiz no Athletico” disse, referindo-se à conquista da Sul-Americana, em dezembro do ano passado.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!