Autor de dois gols da vitória do Athletico por 8×2 sobre o Toledo, na tarde do último domingo (10), pela Taça Dirceu Krüger, o meia Marquinho comemorou sua volta por cima. O atleta, de 32 anos, passou o ano inteiro de 2018 sem atuar, se recuperando de lesões e duas cirurgias no joelho, e teve sua contratação pelo Rubro-Negro contestada pela torcida, que não acreditava que ele poderia produzir no time. Agora, ele espera mostrar cada vez mais a sua importância ao grupo.

+ Leia mais: Foz/Athletico goleia em amistoso na Baixada

Desde agosto de 2018 no CT do Caju realizando trabalhos de reabilitação, o meia foi oficialmente anunciado como reforço em setembro do ano passado. Com um curto contrato com o Athletico, que vai somente até junho de 2019, o jogador acredita que isso não é motivo para que ele apresente um rendimento abaixo do esperado. “O futebol sempre foi assim. Independente de ter contrato longo ou não, a cada jogo é preciso mostrar alguma coisa”, explicou.

Defendendo o Furacão neste ano, o camisa 10 já realizou sete partidas e marcou dois gols, justamente os da goleada em cima do Toledo. Para o jogador, a equipe precisa continuar demonstrando a mesma qualidade para assim responder às críticas que vem sofrendo, sobretudo pelo baixo desempenho no primeiro turno do Estadual.

+ Ficou caro: Athletico aumenta ingressos pro jogo da Libertadores

“A gente fez oito gols e foi uma coisa atípica. Não dá para falar que vamos sempre fazer oito gols, ou três ou quatro. Foi muito gratificante por todas as críticas que a gente vinha sofrendo, a gente demonstrou um pouco do nosso valor, mas nada adianta se não jogar da mesma forma na próxima partida”, disse.

Marquinho já teve passagens por Flamengo, Figueirense, Palmeiras, Roma, Udinese, Hellas Verona e Al Ittihad FC. Um dos pontos altos de sua carreira foi na sua primeira passagem pelo Fluminense, quando marcou o gol que livrou a equipe do rebaixamento no Brasileirão de 2009, justamente contra o Coritiba, que decretou a queda do Verdão.

+ Confira a classificação completa da Taça Dirceu Krüger

Pregando uma postura de ‘pés no chão’, o camisa 10 quer que o Furacão brigue com todas suas forças para chegar à grande final do Estadual, mas para isso quer o time com foco no jogo a jogo.

“A gente tem como objetivo chegar até a final deste turno. Para jogar com o Toledo na grande final ainda tem muito chão. Agora temos que pensar no jogo do próximo domingo, concentrado, focado, só assim vamos chegar no nosso objetivo”, finalizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!