A venda do lateral-esquerdo Renan Lodi para o Atlético de Madrid, da Espanha, entrou para a história do Athletico como a negociação mais cara do clube até hoje. O valor gira em torno de R$ 87,5 milhões, sendo mais que o dobro do que era a maior negociação do Furacão até aqui – R$ 39,5 milhões pelo atacante Lucas, que foi de quase R$ 40 milhões.

+ Leia também: Situação de Nikão segue indefinida

Lodi tem seus direitos econômicos divididos entre o Rubro-Negro e o Trieste. O clube formador de Santa Felicidade, da família Stival, detém 30%, enquanto o Athletico fica com o restante. Ou seja, o dinheiro da venda será repartido.

+ Mais na Tribuna: Furacão perto de contratar zagueiro que estava na Turquia

Considerando os 20 milhões de euros, que podem ser acrescidos com bônus por resultados, os 30% do parceiro representariam R$ 26 milhões. Para o Furacão, portanto, ficariam R$ 61,5 milhões dos 70%, ainda assim acima de todas as transferências anteriores.

Veja abaixo as maiores transações do Athletico da história:

7º Kléberson: R$ 25,6 milhões

Kléberson saiu direto para o Manchester United, na época o papa-títulos da Inglaterra. Foto: Arquivo
Kléberson saiu direto para o Manchester United, na época o papa-títulos da Inglaterra. Foto: Arquivo

A sexta maior negociação do Athletico foi a venda de Kléberson para o inglês Manchester United, em 2003. Na oportunidade, o volante foi negociado por R$ 23,6 milhões (5 milhões de libras). O Rubro-Negro ficou com R$ 11,5 milhões, que correspondia aos seus 50% dos direitos sobre o atleta.

O PSTC, por sua vez, clube formador do campeão brasileiro em 2001, pegou R$ 8,6 milhões em valores de 2003. Por fim, a empresa de marketing All Market, que na oportunidade prestava serviços de comunicação aos londrinenses, levou R$ 2,9 milhões.

Em números corrigidos para a publicação deste texto original, em janeiro de 2017, a venda do pentacampeão mundial representaria R$ 51,3 milhões no total da transação com o United. Como o Rubro-Negro detinha metade dos direitos, pegou R$ 25,6 milhões na correção pela inflação.

6º Otávio: R$ 27 milhões

Otávio segue no futebol francês. Foto: Arquivo
Otávio segue no futebol francês. Foto: Arquivo

Otávio foi vendido para o Bordeaux, da França, em agosto de 2017, por 7,5 milhões de euros, o equivalente a R$ 27 milhões na oportunidade. Na ocasião, a informação era de que o Athletico ainda ficaria com um percentual sobre o atleta, não revelado.

5º Hernani: R$ 28,4 milhões

Hernani não se firmou no futebol europeu e teve volta ao Brasil cogitada. Foto: Jonathan Campos
Hernani não se firmou no futebol europeu e teve volta ao Brasil cogitada. Foto: Jonathan Campos

Hernani foi vendido para o Zenit, da Rússia, por R$ 28,4 milhões, no final de 2016. O Furacão detinha 100% dos direitos econômicos do jogador. E o volante pode render ainda mais. No acerto com os russos, o Rubro-Negro manteve 20%.

4º Jadson: R$ 32,6 milhões

Jadson marcou época no Furacão entre 2003 e 2004. Foto: Arquivo
Jadson marcou época no Furacão entre 2003 e 2004. Foto: Arquivo

A ida de Jadson para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, foi a terceira maior negociação da história do Furacão. O meia saiu em 2005 por R$ 35,7 milhões, pagos por 80% dos direitos. Os outros 20% foram cedidos em 2012, por R$ 1,9 milhão.

Na atualização em 2017, a transferência de Jadson significaria aproximadamente R$ 38,3 milhões. Mas o meia surgiu no PSTC, parceiro do Athletico, que tinha 15% de participação. Com o abatimento, o Furacão ficaria com R$ 32,6 milhões.

3º Fernandinho: R$ 35 milhões

Antes de se destacar no Manchester City, Fernandinho foi vendido por uma grana alta para a Ucrânia. Foto: Arquivo
Antes de se destacar no Manchester City, Fernandinho foi vendido por uma grana alta para a Ucrânia. Foto: Arquivo

Fernandinho foi vendido também para o Shakhtar, da Ucrânia, em 2005. Foram R$ 22,6 milhões por 80% dos direitos do jogador. Em 2007, o Furacão cedeu o restante, por R$ 6,7 milhões. Todos valores da época.

Em cifras atualizadas em 2017, a transação representaria R$ 50,1 milhões. Entretanto, o PSTC, clube de Londrina que formou Fernandinho, e parceiro do Rubro-Negro, detinha 30%. Com o desconto, o Furacão ficaria com R$ 35 milhões de acordo com a correção da inflação.

2º Lucas: R$ 39,2 milhões

Antes de Renan Lodi, Lucas era a venda mais cara da história do Athletico. Foto: Arquivo
Antes de Renan Lodi, Lucas era a venda mais cara da história do Athletico. Foto: Arquivo

O mais rentável de todos os tempos, Lucas foi negociado com o Rentistas, do Uruguai, por R$ 13,3 milhões por 50% dos direitos econômicos do jogador, em 2000. Em valor corrigido pela inflação, a transação significaria R$ 39,2 milhões em 2017.

Os uruguaios já detinham 50% dos direitos do atleta, logo, ficaram com 100%. E um dia após comprar o restante do Furacão, o pequeno clube dos pampas negociou o jogador por R$ 37,3 milhões com o Rennes, da França. Ao todo, o Rentistas ganhou R$ 109,9 milhões com a revelação do Furacão, de acordo com valores corrigidos em 2017.