Direto do Chile – Contratado em 2018 pelo Athletico, o zagueiro Robson Bambu vive sua melhor fase dentro do clube. Depois de alternar altos e baixos em 2019, o defensor herdou a posição de Léo Pereira, vendido ao Flamengo, e se firmou entre os titulares.

No ano passado, o atleta entrou em campo 23 vezes, sendo duas no Brasileiro de Aspirantes e outras sete no Campeonato Paranaense. Na equipe principal, foram 14 atuações: foi titular em 11 ocasiões. Entre elas, o jogo de volta da semifinal e as duas decisões da Copa do Brasil contra o Inter, quando foi um dos destaques na conquista do título.

+ Athletico treina no Chile e deve repetir equipe contra Colo-Colo; veja provável formação

Desde então, o defensor de 22 anos mais jogou do que ficou de fora. Na sequência, foi convocado para defender a seleção brasileira no Pré-Olímpico, em janeiro. Apesar de ter começado como titular e ter perdido a vaga, esteve no grupo que classificou o Brasil para os jogos de Tóquio.

Ao lado de Wellington, Márcio Azevedo, Thiago Heleno e poucos outros, Robson Bambu é um dos que seguem no Furacão após a conquista da Copa do Brasil. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná

Até por isso, acabou perdendo parte da pré-temporada do Furacão, na Argentina. Porém, depois que voltou, foi titular nas vitórias por 5×1 sobre o Cascavel CR, pelo Paranaense, e 1×0 no Peñarol, pela Libertadores. E nesta quarta-feira (11), seguirá na equipe diante do Colo-Colo.

“Estou vivendo um grande momento, venho trabalhando forte desde o ano passado. Tive momentos em que não joguei, mas sempre trabalhei esperando a oportunidade. Eu estava preparado, pude aproveitar da melhor forma e agora venho tendo uma sequência”, celebra Bambu.

Apesar da idade baixa, o zagueiro se tornou um dos mais “experientes” do elenco. “Alguns saíram, mas os que ficaram estão assumindo a responsabilidade e isso é muito importante”, finaliza.

+ Mais do Furacão

+ Protestos no Chile e futebol estão ligados e manifestos podem acontecer em jogo do Athletico
+ Técnico do Colo-Colo espera Athletico um pouco mais recuado na Libertadores
+ Chile traz boas lembranças ao Athletico, mas o histórico longe de casa é ruim
+ Cobiçado por outros clubes, Nikão fará história no Athletico